Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Dólar fecha a R$ 1,562 e acumula queda de 12% no ano

Mesmo com o fluxo cambial positivo hoje, o dólar manteve-se em alta até o meio da tarde, quando desacelerou a valorização para encerrar o dia na cotação mínima. O dólar comercial fechou estável no mercado interbancário, negociado a R$ 1,562.

Agência Estado |

Na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), o dólar à vista fechou em alta de 0,03%, mas também na cotação de R$ 1,562. É o menor valor da moeda americana em relação ao real desde 19 de janeiro de 1999, quando era cotado a R$ 1,558. Com o resultado de hoje, o dólar comercial fechou o mês de julho com baixa de 2,19%. A queda acumulada no ano de 2008 é de 12% - no último dia útil de dezembro de 2007, a cotação era de R$ 1,775 por dólar.

A oscilação da taxa de câmbio hoje, segundo operadores, mostra que a valorização pontual resultou de um movimento especulativo em torno da formação da Ptax (média da taxa de câmbio) de fim de mês por parte de investidores envolvidos na rolagem de contratos futuros negociados na BM&F. Como a definição da Ptax é feita pela média ponderada das cotações pelo volume de negócios no mercado à vista e o maior giro foi registrado até o início da tarde, a desaceleração final das cotações deve ter impacto limitado sobre a formação da taxa, disse um operador. A Ptax é divulgada pelo Banco Central após as 18 horas.

Pela manhã, houve uma entrada financeira estimada entre US$ 1 bilhão e US$ 1,5 bilhão, aparentemente relacionada à venda de ativos da MMX Mineração para a Anglo American, que foi absorvida pelos bancos, impedindo o recuo das cotações do dólar à vista, disse uma fonte. Os bancos já estavam prevendo esse ingresso, que ainda deve ter continuidade já que o negócio em questão é de cerca de US$ 3,4 bilhões.

Ao mesmo tempo, houve um aumento das operações interbancárias à vista e no mercado futuro, características do último dia útil do mês. E o resultado foi a pressão sobre as cotações e forte elevação dos negócios. O giro financeiro total à vista cresceu 152%, para cerca de US$ 5,7 bilhões. O BC interveio com leilão de compra de dólar, mas pode ter adquirido apenas US$ 2 milhões, segundo um operador. A taxa do leilão foi de R$ 1,5615 por dólar.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG