Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Dólar comercial fecha em alta de 0,09% a R$ 2,117

O dólar comercial fechou em leve alta hoje, de 0,09%, cotado a R$ 2,117 no mercado interbancário de câmbio, enquanto o dólar à vista fechou em alta mais expressiva, de 0,47%, a R$ 2,13 na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F). No início do negócios hoje, a moeda americana abriu em baixa em relação ao real, mas a inversão de sinal ocorreu em meio a cautela dos investidores com o leilão de até US$ 2 bilhões direcionado a exportadores, que o BC realizou das 16h às 17h, e o avanço externo do dólar ante as principais moedas estrangeiras em meio a temores de que o pior da crise financeira global ainda esteja por vir.

Agência Estado |

O giro financeiro total somou cerca de US$ 1,901 bilhão, sendo que esse total não inclui os recursos negociados pelo BC em leilão destinados a exportadores.

Além do leilão de "linha carimbada", segundo denominou um operador, o BC vendeu durante a sessão de hoje cerca de US$ 789,2 milhões em contratos de swap cambial com vencimento em 2 de janeiro de 2009, e fez uma operação de venda direta da moeda estrangeira, em que pode ter negociado cerca de US$ 250 milhões, segundo estimativas de uma fonte.

A colocação do lote integral, segundo o BC, equivale a valor de US$ 789,2 milhões. Este foi o 11ª leilão consecutivo de swap cambial, em que o BC tem posição vendedora em câmbio e compradora em taxa de juro. Já no leilão de moeda, o BC pode ter vendido cerca de US$ 250 milhões, estimou um operador. A taxa de corte foi de R$ 2,121.

Na primeira parte dos negócios, a expectativa de que o BC atuaria para prover liquidez ao mercado e as altas exibidas pelas bolsas pelo mundo todo criaram ambiente propício à venda de moeda americana e ao recuo das cotações, a despeito da alta externa do dólar, disse um profissional de uma corretora. À tarde, as Bolsas brasileira e americanas sustentaram os índices em terreno positivo, contudo, o dólar aprofundou os ganhos no mercado de moedas em relação ao euro, que chegou a romper US$ 1,33. "Esse movimento externo do dólar amparou os ajustes de posições no mercado interbancário doméstico, que levaram as cotações à alta", afirmou uma fonte.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG