Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Dólar comercial cai 1,85% e encerra cotado a R$ 2,336

O mercado de câmbio doméstico pegou carona na melhora das bolsas internacionais e da Bovespa na primeira parte dos negócios hoje, para realizar parte dos ganhos de 4,80% acumulados nas quatro sessões anteriores. O Banco Central também deu um empurrão com a venda à tarde no mercado de cerca de US$ 130 milhões, estimou um operador.

Agência Estado |

Contudo, a queda do dólar acabou sendo contida parcialmente com a virada para o terreno negativo durante a tarde dos índices acionários em Wall Street e São Paulo.

O dólar comercial fechou em baixa de 1,85%, cotado a R$ 2,336. Ainda assim, subiu 2,86% na semana e acumula ganho de 0,04% no mês. Na BM&F, o dólar negociado à vista recuou hoje 1,55%, para R$ 2,343. O giro financeiro total à vista somou cerca de US$ 2,642 bilhões.

As quedas das ações "foram motivadas por zeragens de posições de investidores antes do feriado pelo Dia de Martin Luther King Jr. nos EUA segunda-feira, um dia antes da posse de Barack Obama na Presidência do país", disse um operador de tesouraria à Agência Estado. A expectativa nas mesas de negociação é de que a liquidez no mercado cambial poderá se enfraquecer ainda mais na segunda e terça-feira, como reflexo desses eventos nos EUA.

A piora dos mercados de ações à tarde coincidiu com o anúncio pela Casa Branca de que a administração de George W. Bush prevê que a economia dos EUA deverá emergir da recessão no segundo semestre do ano. O sentimento entre os investidores em relação ao atual governo é de total descrença e não se sabe, diante de tantos indicadores ruins, qual será de fato a duração da recessão norte-americana, comentou um profissional. Por isso, afirmou a fonte, o mercado praticamente ignorou as projeções contidas na carta de Bush ao Congresso, que acompanhou o Relatório Econômico anual do Presidente.

Os players preferiram vender ações e ajustar posições em dólar por precaução, uma vez que os indicadores divulgados hoje corroboram um cenário de recessão profunda e duradoura nos EUA. O índice de preços ao consumidor dos EUA caiu 0,7% em dezembro ante novembro, em base sazonalmente ajustada. A produção industrial no país caiu 2,0% em dezembro, a quarta retração em seis meses.

No mercado doméstico, a maior cotação do dólar comercial hoje foi de R$ 2,348, baixa de 1,34%. Em consequência, o Banco Central chamou um leilão, no qual vendeu cerca de US$ 130 milhões; e a taxa de corte foi de R$ 2,34. A mínima da moeda à vista, pela manhã, foi de R$ 2,307 (-3,07%). O fluxo cambial foi fraco e sem destaques, segundo os operadores consultados.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG