Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Dólar comercial abre em queda de 3,41%, a R$ 1,786

O dólar comercial abriu o dia em baixa de 3,41%, negociado a R$ 1,786 no mercado interbancário de câmbio. No pregão de sexta-feira, a moeda norte-americana fechou em queda de 0,27%, cotada a R$ 1,849.

AE |

O dólar comercial abriu o dia em baixa de 3,41%, negociado a R$ 1,786 no mercado interbancário de câmbio. No pregão de sexta-feira, a moeda norte-americana fechou em queda de 0,27%, cotada a R$ 1,849.

Os primeiros negócios no mercado de câmbio já sinalizavam que os investidores estão dispostos a derrubar o dólar para um patamar inferior a R$ 1,80. A queda é uma resposta ao anúncio, na noite de ontem, de que União Europeia e Fundo Monetário Internacional (FMI) reuniram 750 bilhões de euros para blindar o euro. O FMI também liberou 30 bilhões de euros, dos 110 bilhões de euros que já haviam sido prometidos à Grécia.

A artilharia está surtindo os efeitos necessários não somente no Brasil. Os mercados europeus mostram euforia, com altas que ultrapassam 8% na Bolsa de Paris e 5% em Londres e na Alemanha. As Bolsas dos países onde os investidores mais temiam contágio - Portugal e Espanha - também apresentam alta. Mais cedo, a Bolsa de Madri registrava ganho superior a 11% e a de Lisboa ultrapassava 9%.

No entanto, os operadores ressaltam que o otimismo não encerra o assunto da Grécia e da Europa e seus efeitos no mercado. O movimento de hoje é um ajuste às perdas fortes da semana passada, mas a volta ao normal não ocorre em apenas um dia, com a magnitude que está sendo vista. Hoje e nos próximos dias, ainda deve haver forte volatilidade, com investidores e analistas buscando os novos preços justos para os ativos.

No Brasil, o mercado doméstico de câmbio avalia como ficará a disposição dos investidores internacionais para o risco Brasil e quanto de dinheiro ainda virá para o País.

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG