Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Dólar comercial abre em baixa de 1,63% a R$ 2,29

O primeiro negócio no câmbio à vista fechado nesta manhã na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) teve o dólar cotado a R$ 2,29, baixa de 1,76% em relação ao final da sessão de ontem. No mercado interbancário de câmbio, o dólar comercial também abriu as negociações nesta terça-feira a R$ 2,29, recuo de 1,63%.

Agência Estado |

O dia começou com uma onda de realizações de lucros nas bolsas européias, mas os mercados já reverteram as perdas registradas mais cedo e voltam a subir, impulsionadas pelo bom desempenho das ações de bancos e produtoras de petróleo e gás. Essa semana espremida entre o feriado de ontem no Japão e o de quinta-feira nos Estados Unidos reduz o volume de negócios no exterior e fomenta a volatilidade e o baixo apetite aos ativos mais arriscados.

Os índices futuros de ações em Nova York estão no campo positivo, em um dia que traz os dados revisados do PIB do 3º trimestre nos EUA, a confiança do consumidor da Conference Board e um potencial anúncio de novas medidas por parte do secretário do Tesouro dos EUA, Henry Paulson. O novo programa deve aumentar a viabilidade dos empréstimos aos consumidores para aquisição de automóveis, aos estudantes e dos empréstimos concedidos via cartão de crédito. Em um evento que deve influenciar as ações da Vale na Bovespa, a mineradora anglo-australiana BHP Billiton anunciou que retirou sua oferta de compra pela rival Rio Tinto.

No que se refere ao Brasil, os sinais seguem sendo de resistência maior à crise do que outros emergentes. A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) previu que o crescimento econômico do Brasil vai ser de 3% no próximo ano, ante a previsão de 4,5% traçada anteriormente. O mesmo ajuste de 1,5 ponto porcentual foi feito em relação à China, já que a organização também reduziu a projeção para expansão do país de 9,5% para 8%. Mas a punição foi muito maior para a Rússia, com a OCDE cortando seus prognósticos de crescimento do país de 6,5% para 2,3%, em razão da queda do preço do petróleo, de metais e do ambiente internacional. Para a Índia, a previsão é de expansão de 7% no próximo ano fiscal.

Mantendo suas ações de prover liquidez ao mercado, o Banco Central brasileiro ofertará hoje até 6.000 contratos de swap cambial com vencimento em 2 de fevereiro de 2009. No total, a operação equivale a aproximadamente US$ 300 milhões. O leilão será feito das 12h45 às 13 horas e o resultado será divulgado a partir das 13h15.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG