Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Dólar comercial abre em baixa de 0,81% a R$ 2,316

O dólar comercial abriu em baixa de 0,81%, a R$ 2,316 no mercado interbancário de câmbio e, instantes após a abertura, ampliava a baixa para 0,94% a R$ 2,313, na mínima do dia até as 10h22 (de Brasília). Na última terça-feira (dia 30), a moeda norteamericana encerrou o pregão em queda de 3,31%, a R$ 2,335 e, mesmo assim, registrou ganhos de 31,55% no ano passado.

Agência Estado |

Na Bolsa de Mercadorias & Futuros, o dólar à vista subia 0,30%, a R$ 2,32, após abertura em alta de 0,11%, a R$ 2,3155.

Em uma sessão que tende a reproduzir o baixo volume do início da semana, o dólar não tem direção definida para este primeiro dia útil de negócios de 2009 no mercado cambial doméstico.

Após encerrar 2008 com uma valorização de 31,55%, o dólar viu um esgotamento do potencial de valorização em dezembro, quando encerrou o mês com ganho de apenas 0,91% ante o real, indicando uma desaceleração da alta após subir 7,33% em novembro, 13,35% em outubro e 16,47% no acumulado de setembro. Para este início de 2009, espera-se o começo do ciclo de alívio monetário no âmbito doméstico e uma série de dados mais enfraquecidos sobre a atividade interna. Mas se os níveis do câmbio já se ajustaram a esse ambiente segue rendendo debate.

No noticiário doméstico, a agenda de indicadores econômicos é fraca, com o único destaque do dia recaindo sobre o resultado da balança comercial com o fechamento de dezembro e do ano.

Hoje, o mercado doméstico terá a primeira oportunidade para reagir ao dado que mostrou que o saldo entre as entradas e saídas de dólares (fluxo cambial) ficou negativo em US$ 4,064 bilhões no mês passado até a última sexta-feira (dia 26). A informação foi divulgada pelo Banco Central na última quarta-feira (dia 31), dia em que todos os mercados internos estavam fechados. A fuga dos dólares contrasta com o resultado registrado em igual período de dezembro do ano passado, período em que, sem a crise financeira mundial, o Brasil recebeu US$ 5,397 bilhões em novos recursos.

No cenário externo, às vésperas de completar seu 10º aniversário, o bloco dos países que adotaram o euro ganhou um 16º integrante: a Eslováquia. Com a crise econômica, alguns analistas acreditam que a moeda deve ganhar novas adesões, já que poderia servir como um escudo de proteção contra as turbulências.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG