O dólar comercial abriu em baixa de 0,28% as negociações de hoje no mercado interbancário de câmbio, cotado a R$ 1,718. Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), o dólar com liquidação à vista recuava 0,21% na abertura, a R$ 1,7183.

O dólar começou o dia sem tendência clara nas operações no exterior, mas deve estabelecer novo movimento de queda ante o real, acompanhando o quadro levemente favorável ao risco que rege outras transações cambiais. E o dado da produção industrial brasileira, divulgado hoje, respalda as visões mais otimistas sobre a economia brasileira e transmite argumentos favoráveis para a demanda pelos ativos internos.

A produção industrial cresceu 2,2% em outubro ante setembro, na série com ajuste sazonal. Na comparação com outubro do ano passado, a produção da indústria registrou queda de 3,2%. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) fez ainda uma forte revisão do dado de setembro, com a alta de 0,8% sendo elevada para avanço de 1,8%.

A melhora do apetite ao risco traz pressões de vendas ao dólar nas negociações com seus principais pares europeus, mas as perdas tendem a ser limitadas diante do ambiente retraído pelas expectativas em torno dos dados do mercado de trabalho norte-americano, com divulgação na sexta-feira. A trajetória do dólar no exterior deve ficar mais nítida após a pesquisa ADP/MA, prevista para sair às 11h15, que traz os número do mercado de trabalho no setor privado dos Estados Unidos. As estimativas são de um corte menor de vagas em novembro, de 150 mil, ante redução de 203 mil postos de trabalho em outubro. O dado é visto como um balizador para os números amplos do mercado de trabalho.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.