Tamanho do texto

SÃO PAULO - O dólar comercial marca o quinto dia seguido de baixa e volta a ser negociado na linha de R$ 1,75. A formação de preço está alinhada ao maior apetite por risco em âmbito mundial, que leva os agentes a comprar ações e commodities e a se desfazer de posições em moeda americana.

SÃO PAULO - O dólar comercial marca o quinto dia seguido de baixa e volta a ser negociado na linha de R$ 1,75. A formação de preço está alinhada ao maior apetite por risco em âmbito mundial, que leva os agentes a comprar ações e commodities e a se desfazer de posições em moeda americana. Por volta das 10h30, o dólar comercial marcava baixa de 0,79%, a R$ 1,753 na compra e R$ 1,755 na venda. Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F) o dólar para maio recuava 0,61%, para R$ 1,7645 na venda. O bom humor nesta volta de feriado é garantido pelos dados de emprego nos Estados Unidos. Segundo o Departamento de Trabalho foram criadas 162 mil novas vagas em março, melhor leitura em três anos. Já a taxa de desemprego ficou estável em 9,7%. Mais confiantes na recuperação da economia, os agentes vendem dólares e compram ações e commodities. Entre as matérias-primas, o barril de petróleo do tipo WTI subia para US$ 86 em Nova York. No mercado acionário, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) segue operando acima dos 71 mil pontos, patamar que não era registrado desde junho de 2008. (Eduardo Campos | Valor)
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.