O dólar no mercado local começou março em queda firme, ontem, abaixo de R$ 1,80, nível que havia sido rompido pela última vez no dia 20 de janeiro. A moeda no balcão caiu 0,44%, a R$ 1,798, influenciada pela expectativa de que o Banco Central muito em breve deve elevar a taxa Selic, o que ampliaria o diferencial em relação às taxas de juros internacionais, atraindo capital estrangeiro.

O desempenho positivo das bolsas lá fora também colaborou para as ordens de venda da divisa no mercado local, que operou descolada, entretanto, do quadro de valorização visto ante o euro, a libra esterlina e o iene. A queda do dólar por aqui em meio à alta dos preços dos metais e à queda do petróleo estimulou uma correção técnica nos juros.

As taxas começaram o dia pressionadas pela deterioração das estimativas de IPCA na pesquisa Focus, mas o sinal de alta se inverteu, com os investidores devolvendo parte dos prêmios acumulados nos últimos dias. A taxa para janeiro de 2011 caiu a 10,45%. Com giro fraco, a bolsa iniciou o mês no azul, acompanhando o desempenho favorável dos mercados internacionais, calcado, em boa parte, no ganho das commodities metálicas. O Ibovespa subiu 1,09%, aos 67.227,93 pontos. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.