SÃO PAULO - O dólar comercial respeitou a linha de R$ 1,755, mesmo patamar de mínima registrado na semana passada. A retomada das compras, no entanto, pode ser creditada tanto à piora de cena externa, quanto à preocupação dos agentes de mercado com alguma intervenção no governo via Fundo Soberano, Tesouro ou Banco Central quando o dólar se aproxima desse piso.

SÃO PAULO - O dólar comercial respeitou a linha de R$ 1,755, mesmo patamar de mínima registrado na semana passada. A retomada das compras, no entanto, pode ser creditada tanto à piora de cena externa, quanto à preocupação dos agentes de mercado com alguma intervenção no governo via Fundo Soberano, Tesouro ou Banco Central quando o dólar se aproxima desse piso. Revertendo as perdas da abertura, por volta das 12h50, o dólar comercial registrava valorização de 0,39%, a R$ 1,764 na compra e R$ 1,766 na venda. No mercado de dólar futuro, o contrato para maio, negociado na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F) subia 0,51%, para R$ 1,770 na venda, depois de marcar R$ 1,776 na máxima. Fazendo uma análise técnica do dólar futuro com vencimento para maio, o gerente de operações da Terra Futuros, Arnaldo Puccinelli, aponta que se o preço da moeda ficar consistentemente acima de R$ 1,776 será rompido um canal de baixa, o que daria fôlego a nova rodada de alta no preço do dólar. A venda de reais no mercado local encontra algum suporte no ambiente externo, marcado pela queda de preço de ações e commodities. O euro também voltou a perder valor para o dólar depois de aproximar de US$ 1,36. (Eduardo Campos | Valor)
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.