SÃO PAULO - Acompanhando a melhora de humor já captada pela Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) e pelos índices em Wall Street, o dólar diminui o ímpeto de alta contra o real e outras moedas. Depois de bater máximas a R$ 1,770, por volta das 14h30, o dólar comercial era negociado a R$ 1,759 na compra e R$ 1,761 na venda, ainda assim alta de 0,11%. Vale lembrar que na mínima a moeda caiu a R$ 1,755.

SÃO PAULO - Acompanhando a melhora de humor já captada pela Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) e pelos índices em Wall Street, o dólar diminui o ímpeto de alta contra o real e outras moedas. Depois de bater máximas a R$ 1,770, por volta das 14h30, o dólar comercial era negociado a R$ 1,759 na compra e R$ 1,761 na venda, ainda assim alta de 0,11%. Vale lembrar que na mínima a moeda caiu a R$ 1,755. No mercado de dólar futuro, o contrato para maio, negociado na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F), subia 0,28%, para R$ 1,766 na venda. Por aqui, o Ibovespa, principal índice da Bovespa, zerou as perdas da manhã e apontava alta de 0,40%, aos 70.898 pontos. Destaque para as ações da Vale e da MMX. Já em Wall Street, o tom vendedor do começo do dia, depois que os agentes não gostaram dos resultados da Alcoa e de alguns indicadores econômicos, perde força e o Dow Jones volta a oscilar acima dos 11 mil pontos, testando novas máximas para os últimos 18 meses. No câmbio externo, o euro passa a ensaiar alta contra o dólar, voltando a se aproximar da linha de US$ 1,36. (Eduardo Campos | Valor)
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.