O dólar comercial abriu o dia em alta de 0,57%, negociado a R$ 2,308 no mercado interbancário de câmbio. Às 10h12, a moeda ampliava a alta a 1,09%, valendo R$ 2,32.

Na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), em contratos de liquidação à vista, o dólar também era negociado no horário acima a R$ 2,32, após ter começado o pregão cotado a R$ 2,305. Ontem o dólar fechou a R$ 2,295.

Os mercados acionários europeus e norte-americano amanheceram buscando ganhos, apesar do noticiário desfavorável vindo da Ásia, mas ameaçam sucumbir a mais informações negativas surgidas na Europa. O índice de preços ao consumidor (CPI) da zona do euro apresentou alta de 1,1% em janeiro ante igual mês do ano passado, a menor taxa de inflação desde julho de 1999, e a taxa de desemprego atingiu 8% em dezembro. Já o dólar exibia ganhos perante as demais moedas fortes.

No mercado brasileiro de câmbio, isso tende a pressionar o dólar para cima. Porém, vale considerar que hoje é dia de formação da taxa Ptax que liquidará os contratos futuros de câmbio de fevereiro na segunda-feira. E isso pode afastar o comportamento das cotações da moeda norte-americana dos fundamentos.

Na agenda de hoje, há vários indicadores com potencial para mexer com os negócios. O destaque é o Produto Interno Bruto (PIB) preliminar do 4º trimestre nos Estados Unidos, que será divulgado às 11h30. A expectativa é de queda de 5,5%. No mesmo horário o Departamento do Trabalho americano divulga o índice do custo da mão de obra do 4º trimestre. Há também balanços de empresas de porte, como as petrolíferas ExxonMobil e Chevron.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.