GENEBRA - A União Européia (UE) informou que exportações do Brasil de mais de US$ 5 bilhões vão continuar se beneficiando de acesso preferencial no mercado de seus 27 países membros no período 2009-2011.

Bruxelas avisou que nenhum produto brasileiro foi graduado na nova regulamentação para o Sistema Geral de Preferências (SGP) europeu, aprovada esta semana. A graduação significa suspensão de preferência, que ocorre quando um país se torna particularmente competitivo em determinado produto.

Segundo a UE, o Brasil é o segundo maior exportador para o mercado europeu sob o SGP, com 4,3 bilhões de euros de vendas no ano passado aproveitando-se de taxas menores na entrada.

As três principais categorias de produtos exportados beneficiados pelo SGP são maquinários, equipamentos de transportes, plásticos e borrachas.

Os produtos brasileiros que já foram graduados, ou seja, perderam a redução tarifária, no passado foram itens como bebidas, vinagre, tabaco, além de produtos de madeira.

A UE fez o anúncio da nova regulamentação do SGP em plena negociação da Rodada Doha. Diz que 176 países se beneficiam do SGP, num comércio valendo 57 bilhões de euros no ano passado.

Desta vez, Bruxelas só suspendeu as preferências para um país, o Vietnã, para calçados e outros produtos dessa categoria, tal a competitividade e o volume das exportações daquele país asiático.

Em contrapartida, seis países recuperaram o direito de exportar com tarifas menores para alguns produtos: Índia, África do Sul, Tailândia, Indonésia, Rússia e Argélia.

(Assis Moreira | Valor Econômico especial para o Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.