SÃO PAULO - Depois aproximadamente duas semanas de quedas acentuadas, os contratos de juros futuros passam por ajuste de alta na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F). Para a economista-chefe da Arkhe Corretora, Inês Filipa, o que ajuda na correção de preços é o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre, que cresceu acima do esperado.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostrou que a economia brasileira cresceu 1,8% entre julho e setembro ante o segundo trimestre e 6,8% no confronto com o terceiro trimestre do ano passado. A expectativa apontava alta de 1,1% na comparação trimestral e 6% na anual.

Inês ressalta, no entanto, que os dados ainda não refletem o impacto da crise externa na economia brasileira, mas ajudam a reforçar a previsão de crescimento do PIB em 5% para 2008.

Na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM & F), o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento para janeiro de 2010 subia 0,13 ponto percentual, a 13,32%. Já o contrato para janeiro 2011 tinha valorização de 0,16 ponto, a 13,83%. E janeiro 2012 apontava 13,85%, ganho de 0,17 ponto percentual.

Na ponta curta, o DI para janeiro de 2009 registrava queda de 0,02 ponto, apontando 13,43%. Já o vencimento julho de 2009 ganhava 0,02 ponto, projetando 13,40%.

Ainda de acordo com a economista, a proximidade da decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) também estimula o ajuste. Para Inês, o Banco Central (BC) deve segurar a taxa Selic em 13,75% ao ano. Essa também é a expectativa dominando entre os agentes de mercado.

A economista crê que a taxa de juros pode começar a cair já no começo de 2009 e o placar da decisão de amanhã pode ajudar a formar um consenso quanto à data da redução. Um placar dividido entre estabilidade e corte aponta para baixa na taxa Selic já na reunião de 21 de janeiro. Caso haja consenso em torno do 13,75%, a queda no custo do dinheiro seria postergada para o encontro de março.

Para Inês, o BC deve aguardar os dados de atividade de novembro e dezembro para avaliar melhor o desempenho da economia. A autoridade monetária também acompanha de perto a evolução nas expectativas de inflação, que, apesar de recuarem nas duas últimas semanas, seguem distantes do centro da meta de 4,5% para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Na gestão da dívida, o Tesouro Nacional realiza hoje leilão de resgate antecipado de Letras do Tesouro Nacional (LTN) e venda de Notas do Tesouro Nacional Série B (NTN-B). As propostas serão acolhidas das 12h às 13h, com operação especial das 15h às 16h.

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.