Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

DIs operam com leve alta; vendas no varejo e dados de inflação influem

SÃO PAULO - Os contratos de juros futuros apontam para cima na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F) nesta terça-feira. Os investidores reagem a uma série de indicadores econômicos, mas o que promove a inclinação na curva é o resultado melhor do que o esperado para as venda varejistas de outubro.

Valor Online |

O contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento para janeiro de 2010 tinha estabilidade a 12,78%. O contrato para janeiro 2011 tinha valorização de 0,05 ponto, a 13,43%. E janeiro 2012 apontava 13,65%, aumento de 0,07 ponto.

Na ponta curta, o DI para janeiro de 2009 registrava ganho de 0,01 ponto, a 13,52%. O vencimento julho de 2009 perdia 0,02 ponto, projetando 13,04%.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostrou nesta manhã que as vendas no varejo brasileiro recuaram 0,3% em outubro, contra previsão de queda de 0,6%.

O analista da Itaú Corretora, Maurício Oreng, comentou que o número foi fraco de qualquer maneira. Considerando as vendas ampliadas, que incluem automóveis e material de construção, a queda foi bastante significativa, de 8% no comparativo mensal.

Para o especialista, esse talvez esse tenha sido o primeiro ajuste do setor à crise externa. Ele acredita que a direção é de desaceleração. Para novembro, os dados podem ser um pouco melhores em função da menor contração do crédito, mas não devem indicar uma mudança de tendência.

Pelo lado da inflação, os agentes receberam o Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) de dezembro, subiu 0,03%, em dezembro após elevação de 0,73% um mês antes. Oreng observou que o dado vai de encontro à percepção de que a valorização do dólar está sendo compensada pelo recuo no preço das matérias-primas. Fora isso, o menor crescimento contratado para a economia também dificulta o repasse de preços.

" Como a crise é mundial, o real deprecia, mas tem efeito compensatório via commodities. Vai ter algum repasse de câmbio para a inflação, mas ele tende a ser menor. "
Ainda pela manhã, os agentes receberam o Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S), que apontou inflação de 0,73% na segunda medição de dezembro, repetindo a taxa de variação observada na abertura do mês.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG