SÃO PAULO - Conforme o humor externo melhorou e o dólar firmou queda ante o real, os contratos de juros futuros ampliaram o movimento de baixa estimulado pela queda na produção industrial de dezembro. A produção caiu 12,4% no último mês do ano passado, pior resultado da série história do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) iniciada em 1991. Perante dezembro de 2007, a retração foi de 14,5%.

Reagindo ao indicador, o contrato de Deposito Interfinanceiro (DI) com o vencimento para janeiro de 2010, o mais líquido, fechou com baixa de 0,11 ponto, a 10,95%. O contrato para janeiro 2011 caiu 0,06 ponto, a 11,29%, e janeiro 2012 apontava 11,61%, com desvalorização de 0,02 ponto, depois de subir a 11,80% na máxima do dia.

Na ponta curta, o DI para março destoou e subiu 0,01 ponto, para 12,65%. O contrato para abril fechou estável, a 12,31%, e julho de 2009 perdeu 0,03 ponto, projetando 11,59%.

Até as 16h15, antes do ajuste final de posições, foram negociados 493.005 contratos, equivalentes a R$ 43,45 bilhões (US$ 18,51 bilhões), 40% mais do que o registrado ontem. O vencimento de janeiro de 2010 foi o mais negociado, com 281.155 contratos, equivalentes a R$ 25,67 bilhões (US$ 10,94 bilhões).

Os economistas do Barclays Capital, não acreditam que dados tão negativos para a produção possam se repetir em 2009, no entanto os números devem continuar fracos, sem recuperação consistente.

Além disso, avalia ao banco, essa queda na produção aliada ao cancelamento de diversos planos de investimento deve resultar em maior desemprego e, consequentemente, em menor consumo.

"Por isso, reforçamos nossa expectativa de mais um corte de 1 ponto percentual na reunião de março do Comitê de Política Monetária (Copom) e Selic em 10,25% até meados do ano, com risco de taxa ainda menor", disse o Barclays em relatório.

A retração acima do esperado na produção levou os economistas da Gradual a rever sua previsão para o Produto Interno Bruto (PIB) no quarto trimestre do ano passado. De uma contração de 1,66%, a corretora espera queda de 2,25%. Com isso, o PIB fecharia 2008 com expansão de 5,52%.

A Gradual também afirma que sua projeção de PIB para 2009 já caiu bastante e aponta para recessão técnica, ou seja, dois trimestres seguidos de contração econômica.

Analisando os dados, a Rosenberg & Associados, lembra que a produção industrial passou de um crescimento acumulado no ano de 6,4% até setembro para 3,1% no encerramento de 2008.

Segundo a consultoria, a conclusão é que a velocidade de crescimento da economia deve continuar a cair e a sensação de parada brusca deve continuar. "Este movimento tão drástico da atividade deve trazer rapidamente a inflação de volta à meta, compensando a depreciação cambial, o que está permitindo (e requerendo, inclusive) que o Copom haja de forma mais agressiva neste início de movimento de flexibilização monetária", disse a Rosenberg em comunicado.

Reafirmando os dados do IBGE, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) apontou queda no nível de utilização da capacidade. O indicador recuou para 80,2% em dezembro de 2008, em termos dessazonalizados, em relação aos 81,4% registrados em novembro.

Ainda de acordo com a CNI as vendas da indústria caíram 4,3% em dezembro contra novembro na série sem ajuste sazonal. No acumulado de 2008, no entanto as vendas reais subiram 5,7%, melhor resultado da série histórica.

Ainda hoje, foi divulgado o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) medido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), que apontou alta de 0,46% em janeiro, contra 0,16% em dezembro. O grupo educação foi a principal fonte de alta.

Na gestão do endividamento público, o Tesouro Nacional efetuou a primeira etapa do leilão de vendas de Notas do Tesouro Nacional Série B (NTN-B). Foram tomadas 456.400 notas de 1 milhão ofertadas, movimentando R$ 780 milhões. Amanhã acontece a segunda etapa do leilão por meio da transferência de títulos. Também acontece resgate antecipado de NTN-Bs e leilão de troca de Letras do Tesouro Nacional (LTN) e Letras Financeiras do Tesouro (LFT).

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.