Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

DIs avançam, com rumores de saída de Meirelles e proximidade do Copom

SÃO PAULO - Depois de dois dias mornos para o mercado de juros, os contratos de Depósitos Interfinanceiros (DIs) registraram alta nos negócios desta quarta-feira, e levaram à abertura da curva futura. Pesaram sobre os negócios novos rumores sobre a saída de Henrique Meirelles do comando do Banco Central já no fim deste mês, além da proximidade em relação à reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que será realizada na semana que vem. Já se está na reta final para o Copom, e ainda há um embate entre os que acreditam numa alta de juros em março e os que a esperam apenas em abril. O consenso, entretanto, está virando para março mesmo, afirmou o sócio da InvestPort, Dany Rappaport.

Valor Online |

A instituição espera que o aperto monetário tenha início neste mês, por meio de um aumento de 0,25 ponto percentual da taxa básica de juros, atualmente em 8,75% ao ano, tendo em vista a aceleração dos índices de inflação.

Nesta manhã, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) informou que a inflação medida pelo Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) atingiu 0,95% na primeira prévia do mês, depois da alta de 0,98% reportada em igual intervalo de fevereiro.

O destaque ficou com os preços dos produtos industriais no atacado, que aumentaram 0,89% nesta medição, taxa bem menor que a verificada na parcial de fevereiro (1,81%).

Rappaport acredita que a maior expectativa do mercado sobre o ritmo da atividade doméstica também pode estar levando ao aumento dos prêmios.

"Algumas casas começaram a revisar para cima a previsão para o resultado do PIB trimestral", aponta o sócio.

Ontem, o Itaú Unibanco, instituição que espera a elevação de 0,50 ponto percentual da Selic já neste mês, revelou que a economia brasileira deverá crescer 6% em 2010, com inflação de 4,9%.

Ao fim da jornada na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F), o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento no primeiro mês de 2011 subia 0,03 ponto percentual, a 10,46%, assim como o vencimento para janeiro de 2012 ganhava 0,04 ponto, a 11,57%. O DI de janeiro de 2013, por sua vez, operava estável, a 11,89%, enquanto o do mesmo mês de 2014 avançava 0,02 ponto, a 12,05%.

Entre os vencimentos curtos, julho de 2010, que divide as apostas quanto à possibilidade de alta na Selic no primeiro ou no segundo semestre, aumentava 0,05 ponto, a 9,29%, enquanto o DI de abril tinha alta de 0,011 ponto, a 8,765%, e o de maio subia 0,03 ponto, a 8,86%.

Até as 16h15, antes do ajuste final de posições, foram negociados 1,232 milhão de contratos, equivalentes a R$ 115,294 bilhões (US$ 64,413 bilhões), acima do volume de ontem (1,188 milhão de contratos). O vencimento para abril de 2010 foi o mais negociado, com 480.520 contratos, equivalentes a R$ 47,796 bilhões (US$ 26,703 bilhões).

Na gestão da dívida pública, o Tesouro realizou leilão de Notas do Tesouro Nacional Série B (NTN-B), que aconteceu via troca de títulos.

Na agenda de amanhã, o mercado conta com a divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro do quarto trimestre e do fechado de 2009, além do resultado das vendas varejistas de janeiro.

(Beatriz Cutait | Valor)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG