Tamanho do texto

Buenos Aires, 31 mar (EFE).- As patronais rurais da Argentina e o Governo concluíram hoje, sem soluções, a quinta reunião de diálogo no último mês, durante o qual se agravou o conflito pelos impostos às exportações de grãos.

Os dirigentes das quatro maiores entidades agrárias do país voltaram a se reunir hoje com a ministra de Produção, Débora Giorgi, e o ministro do Interior, Florencio Randazzo, em um encontro durante o qual os direitos de exportação não foram tema de diálogo, pois o Governo se nega a baixá-los.

Em entrevista coletiva, o presidente da Sociedade Rural Argentina, Hugo Biolcati, disse que o setor insistirá em promover no Parlamento o debate de um projeto apresentado pela oposição para modificar os impostos às exportações de soja, trigo, girassol e milho.

Ele ressaltou que a iniciativa continuará sendo "polida" e que os dirigentes seguirão buscando "somar as vontades" de mais legisladores depois que, há duas semanas, fracassou o debate do projeto porque o Governo se negou a dar quórum para a discussão.

Biolcati destacou que, embora o tema dos direitos de exportação tenha sido deixado de lado na reunião de hoje, foram manifestados ao Governo outros "problemas graves" do setor, em particular na produção de leite e gado bovino, para os quais os ministros não ofereceram soluções, acusou o dirigente.

As entidades agrárias lamentaram que o Governo tenha recebido os negociadores do campo em um clima com "sabor de reprovação permanente".

Além disso, disseram que muitos dos acordos "parciais e periféricos" anunciados nas reuniões anteriores para conceder melhoras aos produtores rurais têm um grau de "cumprimento pobre".

EFE nk/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.