GENEBRA - O diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Pascal Lamy, constatou nesta quinta-feira que nas próximas 24 horas devem aumentar os esforços para promover um pacto sobre a Rodada Doha, já que os países ainda estão muito longe de um acordo.

Lamy afirmou, durante a reunião realizada pelo quarto dia para impulsionar a Rodada de Doha, que houve pouca aproximação e que resta "muito trabalho a fazer", apesar das negociações terem se intensificado.

Um grupo de seis países-chave da OMC (Brasil, Austrália, China, Estados Unidos, Índia, Japão) mais a União Européia (UE) se reuniram nesta quarta-feira à noite até altas horas da madrugada para tentar aproximar posturas nos aspectos mais importantes da negociação, dentro de agricultura e mercados industriais.

As consultas se concentraram em aspectos agrícolas fundamentais, como a redução de subsídios, o acesso a mercados, os produtos "sensíveis" ou protegidos da liberalização e, no caso dos mercados industriais, a flexibilidade e as cláusulas para evitar que setores inteiros estejam isentos da abertura de mercados.

Lamy disse que há aproximação, mas não convergência sobre questões importantes "politicamente complexas", apesar de os países terem começado a discutir sobre objetivos e números.

O diretor da OMC ressaltou que agora, "mais do que nunca", é preciso vontade política, porque é um momento "crucial" para impulsionar um acordo que permita o avanço da Rodada de Doha, iniciada em 2001 com o objetivo de aprofundar na liberalização do comércio mundial.

"Peço que não poupem esforços nas próximas 24 horas para resolver os assuntos pendentes. O prêmio está à vista", disse.

Por outro lado, as reuniões e a apresentação dos novos textos da OMC estão atrasadas e há indícios de que a reunião, que terminaria inicialmente no sábado, dure até a semana que vem.

As sessões continuarão esta tarde e também serão discutidos outros assuntos difíceis, como a redução da tarifa européia à importação de banana e a disputa entre os países devido às negociações para a proteção das denominações de origem.

Leia também:

Leia mais sobre Rodada Doha

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.