Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Diretor do Bradesco diz que Brasil sofrerá pouco com crise

Madri, 21 nov (EFE).- O diretor-executivo do Bradesco, Domingos Figueiredo, disse hoje em Madri que a economia brasileira será uma das que menos sofrerão com a crise financeira global, pois ainda tem espaço para enfrentar bem este difícil período.

EFE |

Em seu discurso no 10º Fórum Latibex, concluído hoje na capital espanhola, Figueiredo assegurou que o sistema financeiro brasileiro é "privilegiado".

Diante das boas perspectivas apresentadas pelo setor bancário do país, o Bradesco pretende abrir 500 novas filiais nos próximos cinco anos e investir em novas tecnologias para "melhorar o índice de eficácia" da entidade, acrescentou.

O diretor de crédito do grupo financeiro mexicano Inbursa, Frank Aguado, também assegurou que sua entidade prevê abrir 350 novos escritórios até 2013.

Além disso, previu que 2009 será um "grande ano" para o banco "se a crise e a recessão permitirem".

Já o diretor financeiro do banco peruano Credicorp, Alvaro Correa, afirmou que "não percebe nenhum tipo de freio no crescimento" e que os depósitos bancários estão "mais do que cobertos pelas reservas".

Além disso, reiterou que o sistema financeiro do Peru é "forte, líquido e bem capitalizado".

Os três diretores disseram não esperar movimentos de concentração em curto prazo nas entidades brasileiras, peruanas e mexicanas, ao ressaltaram que "há pouca margem" para estas operações, pois estes mercados já estão "bastante concentrados".

O Fórum Latibex, realizado desde quarta-feira em Madri, centrou-se hoje em analisar os efeitos da crise econômica nos mercados financeiros e no papel desempenhado pelos pequenos investidores e acionistas em momentos de crise. EFE avh/fh/jp

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG