Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Dilma: orçamento do PAC cresce 26% para R$ 636 bi

A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, afirmou que o orçamento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) até 2010 foi elevado em 26%, passando dos originais R$ 503,9 bilhões para R$ 636,2 bilhões. Segundo a ministra, considerando os investimentos de R$ 474,8 bilhões previstos para o PAC após 2010, o total de investimentos chegará a R$ 1,1 trilhão.

Agência Estado |

Em audiência pública na Câmara dos Deputados para falar do impacto da crise financeira sobre os projetos do PAC, a ministra disse que a expansão dos investimentos previstos no programa decorre de um conjunto de fatores, entre os quais o acréscimo de novas obras, como o trecho sul da Ferrovia Norte-Sul, e o trem-bala Rio-São Paulo-Campinas, além da atualização de orçamentos. "O PAC foi elaborado em janeiro de 2007, com preços de 2006, e com orçamentos baseados em produtos básicos, não em projetos executivos."

A ministra deu outros exemplos de projetos que foram incluídos, como a concessão da BR-040, entre Brasília e Juiz de Fora (MG), que exigirá do futuro administrador investimentos de R$ 3 bilhões. Ela também informou que será feito um investimento de R$ 9,3 bilhões para o projeto-piloto de exploração de petróleo da camada pré-sal do campo de Tupi.

Outro investimento que cresceu mais do que o previsto pelo governo é o do Luz para Todos. Segundo a ministra, quando esse programa foi elaborado, o governo estimava que seriam necessárias apenas 2 milhões de ligações para universalizar o acesso à energia elétrica. "Chegaremos aos 2 milhões em fevereiro, mas descobrimos mais 1,1 milhão de ligações a serem feitas".

Petróleo

A ministra da Casa Civil disse que não haverá atraso no cronograma para a produção e exploração do pré-sal. "O pré-sal não poderá ser postergado. Ele será fundamental para a retomada após a crise econômica", disse a ministra. Segundo ela, com o pré-sal, o Brasil deixará de ser importador para ser exportador de petróleo.

Dilma afirmou que o teste de longa duração e o projeto piloto de Tupi começarão nas datas previstas do governo. O teste de longa duração deverá ser iniciado no primeiro trimestre do ano que vem e o piloto, no quarto trimestre de 2010. A ministra ressaltou, entretanto, que apesar de ser um projeto piloto, a primeira exploração de Tupi em larga escala será de 100 mil barris por dia, volume semelhante ao de outros campos que já operam. Segundo ela, também nesse piloto serão extraídos cerca de 4 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia. A ministra também reforçou que o governo quer criar uma rede de fornecedores nacionais para produzir os equipamentos que serão usados na produção do pré-sal.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG