Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Dieese: preço da cesta básica sobe em 11 capitais

O preço da cesta básica subiu em novembro em 11 das 17 capitais do País em que o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) realiza a Pesquisa Nacional da Cesta Básica. Apesar do movimento predominante de alta, os técnicos do Dieese ponderam que se trata de variações menores se comparado com outubro.

Agência Estado |

As variações mais expressivas foram anotadas em Vitória, onde o preço da cesta de alimentos essenciais sofreu um reajuste de 5,90%, e em Recife, cidade em que os gastos com a alimentação básica subiram 3,44%. Do lado das quedas, as mais fortes foram apuradas em João Pessoa (1,40%) e Florianópolis (0,79%).

Ainda de acordo com os pesquisadores do Dieese, o preço da cesta básica em Porto Alegre continuou a ser o maior do País, mesmo tendo registrado uma queda de 0,34% no mês passado. Para levar os alimentos básicos para casa no mês passado, o consumidor gaúcho com baixa renda teve que desembolsar, em média, R$ 239,00. Em São Paulo, o preço da cesta não ficou muito longe da registrada em Porto Alegre: fechou em R$ 238,66. Os menores preços foram registrados em João Pessoa e Recife, com R$ 174,83 e R$ 175,22, pela ordem.

Salário mínimo

O salário mínimo ideal para atender as necessidades básicas de uma família composta por quatro pessoas - dois adultos e duas crianças - em novembro seria de R$ 2.007,84. É a este valor que chegaram os técnicos do Dieese ao fazer suas contas com base no preço da cesta básica mais cara do País.

O salário proposto pelo Dieese corresponde a 4,83 vezes o mínimo vigente hoje no País, que é de R$ 415,00. Em outubro, de acordo com os técnicos do Dieese, o valor necessário para arcar com as despesas de uma família nos parâmetros do Dieese com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência seria de R$ 2.014,73 ou 4,85 vezes o valor do piso nacional. Em outubro do ano passado, o mínimo sugerido era de R$ 1.726,24, ou 4,54 vezes o mínimo daquele período, que era de R$ 380,00.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG