Tamanho do texto

Leite, tomate e feijão são destaque de produtos com preços em alta da cesta básica do brasileiro em abril, de acordo com levantamento do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). O aumento desses itens foi determinante para o encarecimento das cestas na maioria das 17 capitais pesquisadas.

Leite, tomate e feijão são destaque de produtos com preços em alta da cesta básica do brasileiro em abril, de acordo com levantamento do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). O aumento desses itens foi determinante para o encarecimento das cestas na maioria das 17 capitais pesquisadas. Os valores médios do leite e do tomate subiram em 16 cidades e do feijão, em 15 capitais.

De acordo com o Dieese, as maiores elevações do leite foram observadas em Salvador (12,78%), Florianópolis (8,25%), Curitiba (7,56%) e Porto Alegre (7,18%). Apenas em Manaus (-1,74%), o produto ficou mais barato. Segundo os técnicos da instituição, desde março, o preço do leite vem aumentando na maioria das capitais, em parte pela quebra da produção devido ao excesso de chuvas em algumas regiões produtoras.

"Ao mesmo tempo, há pressão de produtores e intermediários pelo aumento do preço", afirmaram os técnicos, em análise que acompanhou o levantamento. "Nos próximos meses começa a estiagem, fenômeno sazonal, com menos chuvas e dias com menor insolação, o que prejudica as pastagens e acarreta redução da oferta. Como resultado, pode haver alta no preço, ou pelo menos a manutenção de valor elevado."

Quanto ao tomate, o Dieese lembrou que o item vem pressionando o custo das cestas nos últimos meses. Ressaltou, entretanto, que, em abril, as taxas foram elevadas, mas já com tendência de redução em algumas localidades, em virtude da melhora do clima. No período, o tomate recuou 9,05% em São Paulo e houve pequenas variações positivas no Rio de Janeiro (2,39%), Curitiba (1,49%) e Brasília (1,19%), enquanto a menor elevação de março havia sido superior a 12%. Fortes altas no valor médio do produto foram apuradas ainda em Natal (57,53%), Belém (24,05%), Fortaleza (20,32%) e Recife (19,38%).

Em relação ao feijão, o levantamento do Dieese apontou que apenas Fortaleza (-2,07%) e Goiânia (-2,74%) tiveram redução no preço do grão e que as altas mais significativas foram apuradas em Belo Horizonte (50,97%), São Paulo (46,30%), Salvador (43,36%) e Natal (39,53%). "A redução da colheita da principal safra, plantada no final do ano passado, provocou a elevação dos preços. A entrada no mercado - nos próximos meses - das safras de reposição deve elevar a oferta e permitir a redução do preço", comentaram os técnicos do Dieese.

Além dos fortes impactos do leite, do tomate e do feijão, o Dieese apurou que outros itens também influenciaram o preço da cesta básica nas capitais em abril. O valor médio da carne aumentou em 11 localidades; o preço do pão subiu em dez cidades; e a batata contou com avanço, no valor médio, em oito capitais.

Dentre os itens que tiveram predomínio de queda de preço nas cestas, um dos destaques foi o arroz. Conforme o Dieese, 11 capitais apresentaram pequena retração em relação aos valores de março, com destaque para Brasília (-4,46%), enquanto houve estabilidade em São Paulo e Florianópolis e elevação em quatro cidades, em especial, em Aracaju (5,76%) e Rio de Janeiro (5,04%). O óleo de soja também voltou a ter predomínio de queda em abril, confirmando este comportamento em 16 localidades pesquisadas, segundo a instituição.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.