Tamanho do texto

SÃO PAULO - Os reajustes salariais foram pouco afetados pela crise financeira no ano passado, segundo conclusão de um estudo do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). De acordo com a entidade, 80% das negociações salariais de 692 categorias terminaram em aumento real de salários em 2009, enquanto uma parcela de 13% conseguiu repor a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Os 7% remanescentes que tiveram reajustes inferiores à variação do índice de preços representaram a terceira menor ocorrência na série histórica, iniciada em 1996. Já a participação das categorias que conquistaram ganho real de salário só ficou atrás de 2007, quando 88% dos acordos superaram a inflação acumulada, e em 2006, cujo coeficiente foi de 86%.

"A análise dos reajustes salariais em 2009 revelou que as entidades sindicais brasileiras lograram conquistar mais um ano de bons resultados nas negociações salariais dos trabalhadores", afirma o departamento em nota.

Segundo a entidade, as estimativas apontam para um ano de crescimento econômico robusto e expansão do nível de emprego em 2010. Caso essa expectativa seja confirmada nos próximos meses, o Dieese aponta que o ano poderá ser ainda mais positivo para a negociação coletiva de salários.

(Eduardo Laguna | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.