Bruxelas, 5 out (EFE) - O grupo bancário Dexia desmentiu hoje que as dificuldades pelas quais passa a entidade hipotecária alemã Hypo Real State (HRE) representem um perigo para a sua atividade, e disse que o impacto desta situação em sua solvência é muito limitado.

O Dexia emitiu um comunicado no qual desmente as informações publicadas hoje pela imprensa belga, a qual assegurou que a retirada dos bancos privados do plano de resgate do HRE deixava a entidade franco-belga "em graves problemas".

Segundo o Dexia, a ampliação de capital anunciada na terça-feira, na qual os Governos de França, Bélgica e Luxemburgo injetaram 6,4 bilhões de euros, "já levava em conta os possíveis impactos negativos da deterioração geral da solvência de certos parceiros bancários".

O jornal econômico "De Tijd" assegura, em seu site, que a exposição do Dexia ao HRE seria de 200 milhões de euros, abaixo do sugerido antes por outros veículos de comunicação.

Durante todo o dia circularam rumores na Bélgica sobre a possibilidade de que o Governo pudesse agir hoje para reforçar a confiança no Dexia, assim como deve fazer com o Fortis antes da abertura das bolsas nesta segunda-feira.

No entanto, o porta-voz do primeiro-ministro, Yves Leterme, assegurou à agência "Belga" que as discussões estão centradas apenas no Fortis e que o Executivo não falou hoje da situação do Dexia.

"O Dexia é um banco com muita solvência, mas também sofre os efeitos da crise bancária internacional", admitiu hoje Leterme em entrevista à televisão pública "VRT".

Por sua vez, o banco fará, na tarde de hoje, uma reunião por telefone com o conselho de administração para analisar o desenvolvimento da crise financeira. EFE mvs/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.