Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Devido à crise, Honda deixa a Fórmula 1

SÃO PAULO - A montadora japonesa Honda anunciou nesta sexta-feira sua saída da Fórmula 1. A medida é consequência da crise econômica mundial, que afetou os negócios da companhia.

Valor Online |

Para cortar os custos, a Honda já realizou algumas demissões, cortes de produção e agora deve economizar mais 20 bilhões de ienes (US$ 216 milhões) com a nova iniciativa.

"Esta difícil decisão foi tomada por causa da rápida deterioração do ambiente de operação que a indústria automobilística global enfrenta", declarou o presidente da empresa, Takeo Fukui.

Ele afirmou à imprensa local que, caso não encontre algum comprador em um mês para a equipe, o grid pode ficar com apenas 18 carros na competição.

A notícia deve afetar a carreira dos brasileiros Rubens Barichello, Bruno Senna e Lucas Di Grassi, esses dois últimos cotados para substituir Rubinho no ano que vem.

A Honda já havia cortado em outubro suas projeções de lucro em 13%. Em novembro, anunciou que suas vendas de veículos nos EUA, seu maior mercado, sofreram queda de 32%, o declínio mais expressivo desde 1981.

(Vanessa Dezem | Valor Online, com agências internacionais)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG