A Organização Internacional do Trabalho (OIT) alerta que o desemprego no mundo deve sofrer uma alta considerável em 2008 em decorrência da crise financeira que já está se traduzindo em uma desaceleração da economia. Antes mesmo das turbulências de setembro, a entidade já previa que 5 milhões de novos desempregados seriam somados à população que não tem emprego no mundo.

"Precisamos estar preocupado com impacto nas pessoas pobres e pequenas empresas. A crise mostra que estamos vivendo em uma sociedade que não é sustentável. Temos de agir de forma preventiva. Mas o certo é que o desemprego vai certamente subir este ano no mundo", afirmou Juan Somavia, diretor da OIT.

"Não podemos apenas salvar grandes bancos. Precisamos ter linhas de crédito para pequenas empresas que vão sofrer e já estão sem acesso a empréstimos", defendeu Somavia, que irá reforçar esses pontos no encontro do Fundo Monetário Internacional (FMI) e Banco Mundial em duas semanas, em Washington.

"Temos de nos perguntar porque tudo isso ocorreu. A economia global está fora de lugar e vamos precisar de uma nova arquitetura internacional, com um novo papel para FMI e bancos centrais", disse. "O pior é que já dissemos tudo isso antes, nos anos 90 quando houve a crise na Ásia. E ninguém fez nada", completou Somavia.

Mais notícias

Para saber mais

Serviço 

Opinião

Leia mais sobre o plano de resgate financeiro dos EUA

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.