RIO DE JANEIRO (Reuters) - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social deve desembolsar 13 bilhões de reais para o setor elétrico este ano, um aumento de mais de 50 por cento ante o volume liberado em 2008, de acordo com o chefe do departamento de infra-estrutura do banco, Nelson Siffert. Setenta por cento desse valor deverá ir para a área de geração hidrelétrica, disse a jornalistas após participar de um seminário do Grupo de Estudos do Setor Elétrico (Gesel).

No ano passado, o setor elétrico recebeu cerca de 8,5 bilhões de reais do BNDES.

A maioria dos recursos do BNDES em 2009 deve ir para projetos como o complexo do rio Madeira, em Rondônia; usina hidrelétrica de Estreito, em São Paulo; e usina hidrelétrica Foz do Chapecó, entre Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Outros 6 bilhões em pedidos de financiamento estão em análise no banco, segundo Siffert.

"O setor tem visto desde 2006 a escalada dos recursos liberados pelo banco. Em 2006, foram 3 bilhões de reais, e em 2007, 6,2 bilhões de reais. Ao todo, entre 2003 e 2008, foram aprovados financiamentos de 45 bilhões de reais para 230 projetos do setor elétrico, que significam investimento de 78 bilhões de reais", disse o executivo do BNDES.

De acordo com cálculos de Siffert, o segmento de geração de energia teve 155 empreendimentos contemplados por financimentos do banco.

A área de trasnmissão também deverá ter boa demanda este ano, explicou, com destaque para os projetos Tucuruí-Manaus-Macapá e rio Madeira.

Siffert destacou ainda que em meio à crise de crédito as empresas de transmissão buscaram o BNDES para obter empréstimos-ponte a fim de dar continuidade aos projetos.

"Já foram aprovados dois pedidos e outros quatro estão em análise. Um desses é um linhão Tucuruí-Manaus",informou o executivo sem revelar valores.

(Por Rodrigo Viga Gaier)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.