SÃO PAULO - Uma semana depois de comunicar que detectou uma exposição acima do limite estabelecido em suas posições em derivativos financeiros de câmbio, a fabricante de celulose Aracruz divulga o tamanho do problema. A consultoria contratada para analisar as operações com instrumentos financeiros da companhia apurou o valor justo ( fair value ) negativo de aproximadamente R$ 1,95 bilhão, utilizando data base de 30 de setembro de 2008. No entanto, apesar do resultado contábil apurado, a empresa destaca que o efeito caixa das operações financeiras de derivativos está positivo em cerca de R$ 25 milhões no terceiro trimestre. A Aracruz esclarece que as referidas operações foram contratadas pelo prazo médio de 12 meses, com verificação contratual mensal. Sendo assim, a companhia não está obrigada a desembolsar a quantia correspondente ao fair value .

Nas datas de verificação contratual ou vencimento, as operações geram desembolso ou recebimento de caixa para a empresa, conforme o caso.

Como forma de reduzir o impacto negativo de novas desvalorizações do real, a Aracruz afirma que vem mantendo uma posição comprada em dólar futuro na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F), da ordem de US$ 538 milhões, atualmente com taxa média de R$ 1,91 por dólar.

A companhia também anunciou que possui US$ 140 milhões vendidos em Non Deliverable Forward (NDF) com vencimento em novembro de 2008, contra uma posição comprada de US$ 60 milhões com vencimento em outubro de 2008.

A empresa ainda divulgou que o efeito da variação cambial sobre a dívida em moeda estrangeira será negativo em cerca de R$ 330 milhões no trimestre, resultado parcialmente compensado pelas receitas sobre os ativos em dólares.

A Aracruz encerra a nota indicando que sua posição de caixa e aplicações financeiras da em 30 de setembro de 2008 era de aproximadamente R$ 1,2 bilhão.

Apesar das ressalvas da empresa, as ações da Aracruz sofrem na Bovespa. Às 12h20, os papéis despencavam 18,75%, a R$ 5,24.

(Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.