A Câmara dos Deputados da Argentina aprovou na madrugada desta sexta-feira a lei que acaba com os fundos de previdência privados e transfere para um sistema único de aposentadoria do Estado quase 26 bilhões de dólares em investimentos. Agora o texto passa à apreciação do Senado.

O governo da presidente Cristina Kirchner conseguiu a aprovação com os votos de 160 deputados, enquanto a oposição ao projeto teve apenas 75 votos, além de duas abstenções, depois de uma sessão que durou mais de 14 horas.

"Houve um sistema (privado) que desmoronou estrepitosamente. Isto era uma política de saque", afirmara mais cedo a presidente Cristina Kirchner para justificar a medida.

A oposição afirma que a reforma representa um confisco e é uma medida destinada a administrar fundos que pagarão a dívida pública.

Argentina deve enfrentar em 2009 vencimentos da dívida soberana de 20 bilhões de dólares.

dm/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.