SÃO PAULO - A desvalorização do dólar frente as demais moedas internacionais e dados macroeconômicos impulsionaram as cotações do petróleo nesta sessão. Em Nova York, o WTI para junho subiu US$ 0,98, fechando a US$ 86,15, enquanto o contrato de julho ganhou US$ 1,11, para US$ 88,36. Em Londres, o Brent de junho avançou US$ 0,54, para US$ 87,44, e o de julho teve alta de US$ 0,61, para US$ 88,45.

SÃO PAULO - A desvalorização do dólar frente as demais moedas internacionais e dados macroeconômicos impulsionaram as cotações do petróleo nesta sessão. Em Nova York, o WTI para junho subiu US$ 0,98, fechando a US$ 86,15, enquanto o contrato de julho ganhou US$ 1,11, para US$ 88,36. Em Londres, o Brent de junho avançou US$ 0,54, para US$ 87,44, e o de julho teve alta de US$ 0,61, para US$ 88,45. Com o dólar mais fraco, os agentes criam expectativas de que a demanda pelas commodities se elevem. Além disso, os investidores receberam de modo positivo os dados sobre o Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA. No primeiro trimestre, o país registrou expansão a uma taxa anualizada de 3,2%. Segundo os dados do Departamento do Comércio, os resultados vieram abaixo do crescimento nos três meses finais do ano passado, quando a economia americana cresceu 5,6%, mas ainda representa certa recuperação do consumo. Os investidores prestaram atenção ainda na situação da mancha de petróleo que se arrasta pela costa dos EUA. Dois aviões da Força Aérea foram enviados ao Mississippi e estavam aguardando ordens para começar a descarregar substâncias químicas no vazamento de petróleo, que ocorreu em uma plataforma operada pela BP no Golfo do México. (Vanessa Dezem | Valor com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.