Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Depois do leite em pó, as balas estão contaminadas na China

O escândalo do leite em pó adulterado atingiu nesta sexta-feira as balas na China, onde a marca mais conhecida, White Rabbit, suspendeu suas vendas no mercado interno, após adotar várias medidas de retirada do produto no exterior.

AFP |

"Pedimos a devolução das balas White Rabbit exportadas e suspendemos temporariamente as vendas internamente", declarou uma porta-voz da empresa Bright Food Co (Guangshengyuan, nome chinês), com sede em Xangai, sob anonimato.

A famosa bala, que foi oferecida ao presidente norte-americano Richard Nixon durante sua histórica viagem à China em 1972, foi retirada das prateleiras. Os consumidores já foram advertidos em vários países há alguns dias, desde Cingapura até o Peru, passando pela Austrália e a Nova Zelândia.

Em Londres, a Tesco, principal distribuidora britânica, anunciou quarta-feira que havia suspendido a venda das balas White Rabbit.

Segundo a agência Nova China, estas balas são exportadas a cerca de 20 países, sobretudo no sudeste asiático.

Estas medidas foram tomadas depois do escândalo do leite em pó adulterado com melamina, uma substância que já provocou a morte de quatro bebês na China. Além disso, 53.000 pessoas tiveram de ser atendidas por problemas renais.

O representante da OMS (Organização Mundial da Saúde) na China, Hans Troedsson, falou nesta sexta-feira sobre a possibilidade de haver novas mortes.

A OMS e a FAO (agência da ONU para a Alimentação) pediram nesta sexta-feira a todos os países "maior vigilância" ante uma possível difusão dos produtos contaminados pela melamina.

A China anunciou quarta-feira que o leite líquido produzido no país a partir de 14 de setembro não contém melamina.

Nesta sexta-feira, duas redes de supermercado de Hong Kong, ParknShop e Wellcome, anunciaram que retiraram de suas prateleiras os biscoitos da marca Lotte, produzidas na China, depois que descobriram resíduos de melamina em alguns lotes do produto em Macao.

Na Europa, as autoridades decidiram proibir a importação de todos os produtos alimentares para crianças procedentes da China que contenham leite em pó, como chocolate, doces e biscoitos.

No total, mais de 12 países proibiram as importações de laticínios chineses e adotaram medidas para restringir seu consumo.

A China anunciou quinta-feira que dará mais meios ao sistema de controle de segurança alimentar, abrindo novos centros de inspeção de alimentos.

A reputação dos produtos "made in China" se viu gravemente afetada por este novo escândalo de segurança alimentar depois de uma série de casos nos últimos anos.

bur-frb/lm

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG