A General Motors informou ontem que venderá dois jatos corporativos após sofrer críticas por enviar o executivo-chefe da companhia, Rick Wagoner, a Washington em um jatinho particular para discutir o plano de auxílio financeiro do governo dos EUA às montadoras. Diversos parlamentares citaram o uso dos aviões particulares pelos executivos da GM, da Chrysler e da Ford como motivo para rejeitar o pacote de auxílio.

O porta-voz da GM, Tom Wilkinson, disse que a montadora, que arrendou os aviões, decidiu se livrar de duas das cinco aeronaves antes das audiências desta semana como parte de um programa de corte de custos.

A companhia já havia vendido dois aviões em setembro. “Entendemos a questão simbólica das pessoas aparecerem em Washington em jatos corporativos”, disse Wilkinson. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.