SÃO PAULO - Passados seis dias consecutivos de valorização, que resultaram em uma alta acumulada de 16%, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) deve ter um pregão de correção nesta quarta-feira. A sinalização vem do mercado futuro, onde o Ibovespa com vencimento em fevereiro caía 1,62%, para 42.

450 pontos.

O dia também tem contorno negativo em Wall Street, onde os índices futuros apontam para baixo. A agenda do dia é pouco carregada e as atenções estão voltadas para o relatório de emprego da ADP, empresa que processa folhas de pagamento.

Os investidores também reagem ao anúncio da gigante do alumínio Alcoa, que na noite de ontem comunicou o corte de 13% de sua força de trabalho, ou cerca de 13,5 mil empregos, até o final do ano. A companhia também reduzirá sua produção.

Depois das altas recentes, o petróleo volta a recuar no mercado externo, mas os agentes continuam acompanhando os problemas no fornecimento de gás na Europa devido à disputa entre Rússia e Ucrânia.

O mercado europeu já devolve os ganhos das últimas sessões, com os setores financeiros e as empresas de energia puxando as perdas. Há pouco, o FTSE-100, da Bolsa de Londres, perdia 1,32%, enquanto o Xetra-DAX, de Frankfurt, caía 0,75%.

O dia também é de correção no preço da moeda norte-americana. Depois de quatro dias seguidos de baixa ante o real, os agentes ajustam suas posições. Há pouco, a moeda era negociada a R$ 2,199 na venda, valorização de 0,87%.

Na terça-feira, o bom desempenho das commodities e a expectativa positiva com novos planos de estímulo à economia norte-americana puxaram o Ibovespa para os 42.312, ou alta de 1,91%. O giro financeiro seguiu elevado, somando R$ 4,28 bilhões.

Segundo analistas, boa parte das compras foi feita por investidores estrangeiros, que voltaram a atuar na ponta compradora depois de tirar mais de US$ 24 bilhões do mercado de ações durante 2008.

Em Wall Street, o dia também acabou de forma positiva, com valorização de 0,69% para o Dow Jones e ganho de 1,5% para a bolsa eletrônica Nasdaq.

Na Ásia, a quarta-feira foi de alta em Tóquio, onde o índice Nikkei-225 subiu 1,74%. Valorização também em Seul, onde o Kospi avançou 2,84%. Já na China, as bolsas de Xangai e Hong Kong caíram 0,68% e 3,37%, respectivamente.

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.