Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Demanda por discos rígidos cresce 21% no primeiro trimestre apesar de crise econômica, diz iSuppli

SÃO PAULO - A demanda por drives de disco rígido (HDD) demonstra estar bastante forte neste ano, apesar da desaceleração da economia nos EUA. No total, foram vendidos 137 milhões de HDDs nos três primeiros meses do ano, 21% mais que em igual período de 2007. De acordo com a consultoria iSuppli, a procura por aparelhos eletrônicos de baixo custo e alta capacidade de armazenamento tem sido o motor da expansão do mercado de HDDs em 2008.

Valor Online |

A demanda no primeiro trimestre veio principalmente de cinco segmentos: notebooks, computadores de mesa (desktops), eletrônicos pessoais, drives externos e aplicações corporativas, afirma a iSuppli.

Diferentemente da indústria de chips flash NAND (memórias em estado sólido, também conhecidas pela sigla inglesa SSD), os fabricantes de HDD têm sido capazes de resistir aos piores impactos da desaceleração econômica ao aprender como controlar seus custos, afirmou o analista sênior de Sistemas de Armazenamento de Dados da iSuppli, Krishna Chander. A indústria também foi auxiliada pela crescente demanda por mais capacidade para PCs - uma vez que os novos aplicativos requerem HDDs com cada vez mais espaço. Enquanto a demanda por capacidade de armazenamento de baixo custo continuar crescendo, a indústria de HDD vai encontrar formas de fornecer (esses equipamentos), acrescentou.

Segundo a consultoria, os fabricantes de HDD relataram saudáveis margens operacionais no primeiro trimestre deste ano. Todas as seis maiores empresas do setor esperam que a indústria continue em expansão em 2008. A expectativa da iSuppli é que as vendas em unidades no segundo trimestre apresentem alta de 16% ante igual período de 2007.

É notório que a recessão nos EUA não tenha resultado em um impacto significativo sobre a indústria de HDD nos últimos dois trimestres, afirmou Chander. O lucro líquido da Seagate (líder mundial dessa indústria) no segundo trimestre realmente veio abaixo do esperado, mas isso não ocorreu por conta de um declínio na demanda, mas sim por conta dos preços mais baixos de seus produtos, afirma o analista. Segundo ele, as vendas de HDDs para notebooks da Seagate foram pequenas em relação às vendas de componentes para desktops. Como o preço dos HDDs para computadores portáteis é mais alto, o resultado da empresa teve um impacto negativo, explica Chander.

(José Sergio Osse | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG