Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Demanda interna reduz exportações de aço no primeiro semestre

RIO - O aquecimento do mercado interno levou a uma redução nas exportações de aço pelas siderúrgicas brasileiras no primeiro semestre. Entre janeiro e junho, o volume total vendido ao exterior caiu 10,3%, para 5,039 milhões de toneladas, contra 5,618 milhões de toneladas vendidas no primeiro semestre de 2007. No total, as vendas ao exterior atingiram US$ 3,665 bilhões, 3,2% acima dos US$ 3,552 bilhões registrados nos primeiros seis meses do ano passado, refletindo o aumento de preços dos produtos siderúrgicos nos mercados internacionais.

Valor Online |

Para o presidente do Instituto Brasileiro de Siderurgia (IBS), Flávio Azevedo, a queda das exportações foi causada pela transferência de volumes que seriam vendidos ao mercado internacional para colocação no Brasil de forma a atender a demanda crescente. A queda das exportações foi determinada pelos laminados, cujas vendas ao exterior caíram 32,6%, para 2,055 milhões de toneladas no primeiro semestre, contra 3,051 milhões de toneladas entre janeiro e junho do ano passado.

Dentro desse grupo, as vendas de aços planos ao exterior caíram 41,8%, para 1,122 milhão de toneladas, contra 1,927 milhão de toneladas no primeiro semestre do ano passado. Entre os longos houve queda de 17% nas exportações, de 1,124 milhão de toneladas no primeiro semestre do ano passado para 933 mil toneladas entre janeiro e junho de 2008.

A queda das exportações foi minimizada pela alta de 16,2% nas vendas internacionais de aço semi-acabado. No primeiro semestre do ano passado foram vendidas 2,567 milhões de toneladas ao exterior, volume que esse ano pulou para 2,984 milhões de toneladas.

O aumento das exportações de semi-acabados foi puxado principalmente pelas expansões de ArcelorMittal Tubarão e Gerdau Açominas, afirmou o vice-presidente executivo do IBS, Marco Polo de Mello Lopes, acrescentando que este aumento elevou a capacidade instalada no parque siderúrgico brasileiro de 37 milhões de toneladas no ano passado para os atuais 41 milhões de toneladas.

No caminho contrário, as importações subiram 58,8%, de 662 mil toneladas no primeiro semestre do ano passado para 1,051 milhão de toneladas entre janeiro e junho deste ano. Segundo Flavio Azevedo, o crescimento das importações - que levou a um aumento de gastos com as compras de 77,8%, de US$ 766 milhões para US$ 1,362 bilhão - foi puxado por compras das próprias siderúrgicas, com o objetivo de suprir demandas de clientes que não haviam sido planejadas com antecedência.

Além disso, houve importações de produtos que não são produzidos no país por uma questão de escala, e não por problemas de capacidade, frisou Azevedo.

O presidente do IBS fez questão de ressaltar diversas vezes que não há risco de desabastecimento do mercado interno. Segundo ele, mesmo com o aumento de 18,4% nas vendas internas e da alta de 21,5% no consumo aparente (vendas internas mais importação, menos exportação), que pulou de 10,315 milhões de toneladas no primeiro semestre do ano passado para 12,533 milhões de toneladas entre janeiro e junho deste ano, a capacidade instalada de 41 milhões de toneladas atual do parque siderúrgico brasileiro tem condições de garantir a demanda interna.

Azevedo citou inclusive a demanda de projetos para o setor de petróleo e as compras de aço para construção de embarcações. Segundo ele, os estaleiros fizeram duas importações de aço ucraniano para os dois primeiros navios licitados pela Transpetro, mas já perceberam que não é bom negócio.

Azevedo frisou que, caso a economia mantenha um ritmo de 5% de crescimento ao ano até 2015, a demanda nacional vai atingir 40 milhões de toneladas, enquanto os projetos siderúrgicos já assegurados e em desenvolvimento levarão a capacidade instalada no país a 63 milhões de toneladas. As necessidades serão atendidas. Não há entrave do ponto-de-vista do setor siderúrgico, disse Azevedo.

(Rafael Rosas | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG