Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Delta e Northwest concluem fusão e criam maior aérea do mundo

SÃO PAULO - A Delta Air Lines e a Northwest Airlines concluíram o processo de fusão de US$ 2,8 bilhões iniciado em abril deste ano e que dará origem à maior empresa aérea do mundo. A conclusão foi anunciada horas após o parecer favorável dado pelo Departamento de Justiça dos EUA sobre a combinação das duas empresas.

Valor Online |

Com faturamento combinado anual de US$ 34 bilhões, a nova companhia deverá adotar o nome da Delta e, no longo prazo, extinguir a marca Northwest que, até então, será conduzida como subsidiária total da Delta. A empresa terá frota de quase 800 aeronaves e 75 mil funcionários. Suas operações se estenderão por 66 países e mais de 375 cidades em todo o mundo.

A fusão entre as duas foi fechada durante uma das maiores crises na indústria aérea norte-americana, afetada pelos preços do petróleo, que na ocasião estavam em forte alta, e agravada pelo início da turbulência financeira, à época ainda relacionada apenas aos problemas no setor imobiliário dos EUA.

Segundo ambas as companhias, a consolidação seria a solução mais adequada para ganhar escala e se proteger dos problemas na indústria e do aumento nos custos em reflexo do preço do petróleo.

"A indústria do transporte aéreo enfrenta um ambiente econômico muito difícil em todo o mundo e essa fusão dá à Delta uma flexibilidade maior para se adaptar às dificuldades econômicas futuras", afirma o executivo-chefe da Delta, Richard Anderson, que também comandará a nova empresa. "Com muito do trabalho para unir nossas duas companhias já bem encaminhado, a nova Delta estará à frente do mercado para se beneficiar da consolidação e está bem posicionada para navegar pelas águas turbulentas que temos à frente em uma economia turbulenta", acrescentou.

Segundo a companhia, a intenção é integrar totalmente as duas operações em um período de 12 a 24 meses. A nova malha integrada deverá ser implantada já em meados do ano que vem.

A Delta espera que, com a fusão, possa registrar uma economia anual de US$ 2 bilhões ou mais em redução de custos por complementaridade das operações e melhor uso dos recursos das companhias. Os custos relacionados à fusão são avaliados pela Delta em US$ 600 milhões no total.

Pelo acordo firmado entre as duas empresas, os acionistas da Northwest irão receber 1,25 ação da Delta para cada ação que têm de sua companhia. Com base no preço de fechamento do mercado de ontem, isso representa um pagamento de US$ 9,99 por ação da Northwest.

"No clima econômico atual, essa fusão faz ainda mais sentido, já que nos permite capturar US$ 2 bilhões em economias anuais e construir as fundações para um crescimento lucrativo com as receitas melhoradas, uma estrutura de custo de ponta e uma posição bastante líquida", afirmou o presidente e executivo-chefe de Finanças da Delta e novo executivo-chefe e presidente da Northwest, Edward Bastian. "Como provamos, esse é um tipo diferente de fusão na indústria e isso ocorreu graças à natureza complementar das duas companhias aéreas e ao calibre das pessoas que farão dessa a fusão mais bem sucedida da história da aviação", acrescentou Bastian.

(José Sergio Osse | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG