Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Minc cria medidas para agilizar licenciamentos

O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, informou hoje que anunciará amanhã, a partir das 10 horas, um pacote de medidas para agilizar o processo de licenciamento ambiental de obras, principalmente no setor de infra-estrutura. Minc batizou o pacote de Destrava Ibama.

Agência Estado |

Segundo a Delta, ela foi afetada entre abril e junho por um prejuízo de US$ 1,1 bilhão, resultante de uma baixa contábil de bens intangíveis. Essa foi a parcela final de uma baixa de US$ 6,1 bilhões reconhecida em março deste ano. O balanço do segundo trimestre também foi impactado por gastos de US$ 102 milhões com seu programa de demissão voluntária e reestruturação de unidades.

Em comparação, no segundo trimestre do ano passado, a empresa obteve um ganho não-recorrente de US$ 1,3 bilhão, com a retirada de cobranças e responsabilidades fiscais garantida por seu programa de recuperação financeira.

Entre abril e junho, a Delta apresentou faturamento de US$ 5,49 bilhões, conta US$ 5 bilhões em igual período do ano passado. As despesas operacionais, porém, aumentaram de US$ 4,51 bilhões em 2007 para US$ 6,58 bilhões neste ano. A companhia afirma que seus custos tiveram aumento de US$ 1 bilhão por conta do aumento nos preços do petróleo, gasto que foi parcialmente compensado por ganhos com instrumentos de hedge (proteção). Ainda assim, as despesas com combustíveis aumentaram de US$ 1,11 bilhão entre abril e junho de 2007 para US$ 1,67 bilhão em igual período deste ano. No total, a companhia fechou contratos de hedge assegurando preço estável para 49% de seu consumo de combustíveis.

Quando apresentada ao desafio de preços sem precedentes do petróleo, a Delta se distinguiu por reagir rápida e decisivamente com forte crescimento, racionalização de sua capacidade doméstica, iniciativas de redução de custo, hedge de combustíveis e foco na manutenção de sua liquidez, afirmou o executivo-chefe da Delta, Richard Anderson.

Durante o trimestre, a empresa apresentou planos para reduzir sua capacidade total em 4% no segundo semestre, com corte de 13% nas operações domésticas aliado à elevação de 14% nas rotas internacionais. Ela ainda deverá retirar 100 aeronaves regionais de sua frota até o fim de dezembro. A Delta ainda adotou formas alternativas de receita, como cobranças adicionais por número de malas transportadas e com a instituição de sobretaxas de combustíveis mais elevadas.

Com tudo isso, a empresa afirma ter a intenção de compensar US$ 3 bilhões do total de US$ 4 bilhões que espera gastar a mais com combustíveis, dado o alto preço do petróleo no mercado internacional.

O fato de termos mitigado quase 80% do impacto do preço mais alto do petróleo em nossos custos nesse trimestre ao mesmo tempo que melhoramos nossa liquidez é prova tanto da força de nosso plano de ação, como do espírito positivo dos funcionários da Delta, afirmou o executivo-chefe de Finanças da empresa, Edward Bastian.

De acordo com a Delta, seu faturamento com o transporte de passageiros aumentou 6,2% no segundo trimestre deste ano em relação a igual intervalo de 2007. No mercado doméstico em particular, porém, houve queda de 1% na receita com passageiros nesse período.

Sobre a fusão com a Northwest, anunciada em abril, a Delta afirma que a operação deverá ser concluída até o final deste ano. Segundo ela, poderá ser gerado um ganho de cerca de US$ 500 milhões com a complementaridade das duas empresas no ano que vem, o que deve subir para cerca de US$ 2 bilhões ao ano por volta de 2012.

A companhia avalia em US$ 600 milhões os gastos relativos à fusão, que devem ser diluídos nos próximos três anos.

(José Sergio Osse | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG