Diferença entre superávit primário e dívida pública em agosto ficou em R$ 10,476 bilhões, segundo Banco Central

selo

O setor público consolidado terminou o mês de agosto com déficit nominal de R$ 10,476 bilhões. Isso quer dizer que a economia feita para o pagamento de juros, o chamado superávit primário, foi insuficiente para cobrir toda a despesa paga mensalmente aos credores da dívida pública. Segundo relatório divulgado hoje pelo Banco Central, o déficit nominal do mês passado foi maior que o observado em agosto de 2009 (R$ 8,162 bilhões), mas inferior ao registrado em julho de 2010 (R$ 14,310 bilhões).

No acumulado de janeiro a agosto, o déficit nominal soma R$ 76,015 bilhões, o correspondente a 3,29% do PIB. Em igual período do ano passado, o rombo era de R$ 64,833 bilhões ou 3,20% do PIB. No acumulado de 12 meses até agosto de 2010, o resultado nominal está negativo em R$ 115,804 bilhões ou 3,38% do PIB.

A despesa com juros do setor público somou, em agosto, R$ 15,698 bilhões, de acordo com o BC. Em julho deste ano, essa despesa foi de R$ 16,764 bilhões e em agosto de 2009, de R$ 13,204 bilhões. No resultado do mês passado, a despesa com juros do governo central foi de R$ 12,589 bilhões, enquanto os governos regionais gastaram R$ 3,079 bilhões com pagamento de juros e as estatais, R$ 30 milhões.

No acumulado do ano até agosto, a despesa com juros do setor público soma R$ 123,796 bilhões, o correspondente a 5,36% do PIB. Em igual período do ano passado, essa conta ficou em R$ 108,310 bilhões, o correspondente a 5,34% do PIB. No acumulado nos últimos 12 meses terminados em agosto, a despesa com juros foi de R$ 184,626 bilhões, o equivalente a 5,39% do PIB do período. Nos 12 meses encerrados em julho, essa conta foi de R$ 182,132 bilhões, o equivalente a 5,36% do PIB.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.