O saldo negativo do primeiro semestre de 2010 é comparável ao déficit de todo o ano de 2009, que somou US$ 24,302 bilhões

selo

A conta corrente do balanço de pagamentos registrou em junho déficit de US$ 5,180 bilhões, cerca de R$ 9,168 bilhões, segundo dados divulgados hoje pelo Banco Central (BC). O número foi superior ao estimado pelos analistas, que esperavam saldo negativo entre US$ 2,75 bilhões e US$ 3,6 bilhões. De acordo com o BC, no acumulado dos seis primeiros meses de 2010, o déficit em transações correntes atinge US$ 23,762 bilhões - ou o equivalente a 2,47% do Produto Interno Bruto (PIB).

Há um ano, em junho de 2009, as transações correntes registravam déficit de US$ 575 milhões e, no acumulado dos seis primeiros meses do ano passado, déficit de US$ 7,177 bilhões. O saldo negativo do primeiro semestre de 2010 é comparável ao déficit de todo o ano de 2009, que somou US$ 24,302 bilhões.

Segundo o BC, o resultado do mês passado foi determinado pela conta de serviços e rendas, que amargou déficit de US$ 7,601 bilhões. O valor foi parcialmente compensado pelo saldo positivo de US$ 2,277 bilhões da balança comercial e por US$ 144 milhões em transferências unilaterais positivas para o País. No acumulado dos 12 meses encerrados em junho, o Brasil registra déficit de US$ 40,887 bilhões, o equivalente a 2,13% do PIB.

Investimento estrangeiro

O Investimento Estrangeiro Direto (IED) no Brasil somou US$ 708 milhões em junho, segundo os dados do Banco Central (BC). O resultado ficou abaixo do previsto pelos analistas, que previam ingresso entre US$ 1,4 bilhão e US$ 1,8 bilhão. A entrada de capital externo produtivo observada no mês passado foi menos da metade do verificado em igual mês do ano passado, quando somou US$ 1,431 bilhão.

No acumulado do primeiro semestre de 2010, o Brasil recebeu US$ 12,058 bilhões em IED - o equivalente a 1,25% do Produto Interno Bruto (PIB). O valor é semelhante ao observado nos seis primeiros meses de 2009, quando ingressaram US$ 12,665 bilhões no País.

No acumulado dos 12 meses encerrados em junho, o Brasil recebeu US$ 25,341 bilhões em investimentos externos produtivos, o que representa 1,32% do PIB. O desempenho é inferior ao registrado nos 12 meses encerrados em junho do ano passado, quando o IED somou US$ 41,014 bilhões (2,83% do PIB).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.