Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Deficit em conta corrente soma US$ 4,58 bi em abril

Resultado acumulado no ano subiu para US$ 16,728 bilhões, 2,68% do Produto Interno Bruto, mostrando piora nas contas externas

AE |

A conta de transações correntes do balanço de pagamentos do Brasil com o exterior apresentou um deficit de US$ 4,583 bilhões em abril. Em abril do ano passado, a conta de transações correntes havia apresentado um ligeiro superavit de US$ 105 milhões. Com o resultado, o déficit acumulado no ano subiu para US$ 16,728 bilhões (2,68% do Produto Interno Bruto - PIB), mostrando uma grande piora das contas externas brasileiras. No mesmo período do ano passado, o deficit da conta de transações correntes estava em US$ 4,832 bilhões. Em 12 meses, o déficit em transações correntes subiu de US$ 31,509 bilhões (1,79% do PIB) em março para US$ 36,197 bilhões (1,99% do PIB) em abril.

O fluxo de investimentos estrangeiros diretos (IED) para o país somou US$ 2,223 bilhões em abril, alcançando no ano a marca de US$ 7,880 bilhões. O valor é menor do que o registrado no mesmo período do ano passado, quando o fluxo de IED somava US$ 8,751 bilhões. Em 12 meses, o ingresso de IED caiu de US$ 26,263 bilhões (1,49% do PIB) em março para US$ 25,077 bilhões (1,38% do PIB) em abril.

As remessas de lucros e dividendos feitas por empresas instaladas no Brasil para suas matrizes no exterior continuam elevadas, contribuindo para a piora das contas externas brasileiras em 2010. Dados do BC mostram que as remessas de lucro e dividendos ao exterior somaram em abril US$ 3,346 bilhões, ante US$ 1,716 bilhão no mesmo mês do ano passado. No acumulado do ano, as remessas saltaram para US$ 7,931 bilhões. No mesmo período de 2009, as remessas somavam US$ 5,273 bilhões.

As despesas com pagamentos de juros e compromissos externos somaram em abril US$ 498 milhões. O valor é menor que o registrado em abril do ano passado, US$ 608 milhões. No acumulado do ano, no entanto, as despesas com juros estão um pouco maiores que no mesmo período do ano passado, somando US$ 3,551 bilhões. De janeiro a abril de 2009, essas despesas com juros estavam em US$ 3,178 bilhões.

Ações e renda fixa

Os investimentos estrangeiros em ações somaram em abril US$ 3,302 bilhões. Em igual mês do ano passado, os investimentos em ações tinham registrado US$ 639 milhões. Os investimentos em ações negociadas no Brasil no mês passado somaram US$ 3,550 bilhões, enquanto as ações brasileiras negociadas no exterior tiveram saldo negativo de US$ 248 milhões.

No acumulado do ano, os investimentos totais estrangeiros em ações somaram US$ 8,573 bilhões, ante US$ 606 milhões de janeiro a abril de 2009. Este montante total de investimentos estrangeiros em ações no mês passado corresponde aos papéis negociados no País, uma vez que as ações brasileiras negociadas no exterior tiveram saldo zero, no confronto entre compras e vendas.

Já os investimentos estrangeiros em títulos de renda fixa somaram, em abril, US$ 3,995 bilhões. Em igual período do ano passado, essa rubrica teve saldo negativo de US$ 392 milhões. Os investimentos em títulos negociados no País somaram US$ 1,257 bilhão e em papéis negociados no exterior, US$ 2,738 bilhões.

No acumulado do ano, os investimentos em renda fixa somam US$ 8,053 bilhões, ante saldo negativo de US$ 3,890 bilhões de janeiro a abril do ano passado. Os papéis negociados no País de janeiro a abril tiveram saldo positivo de US$ 5,736 bilhões e no exterior, US$ 2,317 bilhões.

Leia tudo sobre: Cenário econômico

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG