Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Déficit da Previdência será zerado em 2010, prevê ministro

BRASÍLIA - Se a economia crescer 4% em 2009, meta estabelecida pelo governo, a Previdência ficará no azul pela primeira vez desde 1985 na modalidade urbana. É o que espera o ministro da Previdência Social, José Pimentel.

Valor Online |

Apesar da crise econômica que atinge mercados em todo o mundo, o ministro disse que o cenário para 2009 é "muito bom" e afastou a possibilidade de queda na contribuição.

"O mercado nacional continua crescendo bem, continua aquecido e temos dois setores que são muito importantes para a geração de empregos e para a Previdência Social: a agricultura, que já esta planejada e estruturada para enfrentar a crise, e a construção civil. A construção vai ter que crescer no mínimo 10% em 2009 para dar conta da demanda que está posta", analisou Pimentel em referência ao convênio firmado entre o governo federal e a Caixa Econômica Federal (CEF) para facilitar a compra da casa própria por servidores públicos da União.

A aposentadoria rural, por definição constitucional, é subsidiada e não pode ser superavitária já que entre essa categoria não há contribuição. "De 2006 para cá, temos tido uma redução significativa do déficit da Previdência. Isso é resultado de três grandes ações: o crescimento econômico, a formalização dos contratos de trabalho e uma boa gestão combatendo as fraudes e o desperdício", afirmou o ministro.

Em 2008, segundo Pimentel, o déficit geral da Previdência fechou em R$ 37 bilhões, R$ 7 bilhões a menos do que era esperado para o período.

(Agência Brasil)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG