O Tribunal de Contas da União (TCU) concluiu que a decisão do governo brasileiro, tomada no ano passado por meio de medida provisória, de retirar a inflação norte-americana como indexador do saldo devedor da dívida de Itaipu pode elevar o preço da energia pago pelos consumidores brasileiros. O relatório do Tribunal, elaborado pelo ministro Benjamin Zymler, destaca que a retirada da indexação pela inflação americana reduzirá o montante total da dívida em US$ 8,3 bilhões até 2022.

Se por um lado isso é bom para a usina, por outro compromete os principais credores da usina, entre os quais a Eletrobrás. Pelos cálculos do TCU, para compensar a redução do montante a ser recebido pela Itaipu, os consumidores brasileiros terão de pagar o equivalente a US$ 4,15 bilhões em suas contas até 2022.

O TCU iniciou em abril um estudo sobre a situação financeira da usina. Na época, o pedido foi feito pelo ministro do TCU Marcos Vilaça em um contexto em que o presidente eleito do Paraguai, Fernando Lugo, se elegeu com o discurso baseado na defesa de um reajuste do preço da energia pago pelo Brasil para usar parte da energia da Itaipu que pertence ao Paraguai.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.