Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Decisão do Fed impulsiona bolsas de Nova York, que sobem mais de 4%

SÃO PAULO - A decisão histórica do Federal Reserve (Fed) de reduzir o juro básico dos EUA de 1% ao ano para um intervalo entre zero e 0,25% ao ano surpreendeu os investidores e as bolsas de Nova York fecharam com alta expressiva, de mais de 4%. O movimento foi considerado agressivo, já que o mercado esperava um corte de 0,50 ponto percentual.

Valor Online |

O Dow Jones fechou com alta de 4,20%, aos 8.924 pontos. O Standard & Poor´s 500 encerrou aos 913 pontos, com ganho de 5,14%, e o Nasdaq Composite avançou 5,41%, para 1.589 pontos.

As ações mais favorecidas pela decisão da autoridade monetária foram as de bancos. Os papéis do Citigroup subiram 10,77% (US$ 8,23) e os do JP Morgan ganharam 12,99% (US$ 32,35). As ações do Goldman Sachs avançaram 14,35% (US$ 76), também com ajuda de um prejuízo trimestral menor do que o esperado pelo mercado. No trimestre fiscal encerrado em novembro, o banco registrou perda de US$ 4,97 por ação, enquanto a previsão média era de US$ 3,73 por ação.

A avaliação do mercado é de que o Fed está disposto a tudo para reativar a confiança das empresas e dos consumidores no país. Além de a decisão ter sido surpreendente, os agentes também ponderaram o conteúdo do comentário do banco central americano.

No documento, o Fed prometeu "empregar todas as ferramentas disponíveis para promover a retomada do crescimento econômico sustentável e preservar a estabilidade de preços". Diante da grave crise vivida pelo sistema financeiro, e que se espalhou para a economia real dos Estados Unidos e de todo o mundo, o Fed admitiu ainda que a deterioração das condições econômicas lhe dá aval para manter os juros básicos em níveis excepcionalmente baixos "por algum tempo".

Outras ferramentas também está sendo consideradas pela autoridade monetária como comprar grandes quantidades de títulos de dívida de financiadores de hipotecas e ativos atrelados a esses créditos.

"O Federal Reserve continuará a considerar meios de usar seu balanço patrimonial para dar mais apoio ao mercado de crédito e à atividade econômica", informa o comunicado lembrando que o foco do Fed agora é "sustentar o funcionamento dos mercados financeiros e estimular a economia por meio de operações de mercado aberto e outras medidas que sustentem o balanço patrimonial do Fed em um nível elevado".

(Valor Online, com agências internacionais)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG