SÃO PAULO - O presidente executivo do Itaú Unibanco, Roberto Setubal, destacou nesta terça-feira os mercados do Chile, do Peru e da Colômbia como potenciais focos do processo de internacionalização da nova instituição formada a partir da fusão entre Unibanco e Itaú. Ontem, o executivo já informara que a América Latina deve ser o mercado preferencial para os primeiros passos do novo banco na direção de se tornar um competidor global.

Do Chile, Setubal enfatizou o patamar atingido pela economia daquele país, bem como sua estabilidade. "Pensamos em ampliar nossa presença", disse ele, referindo-se ao fato de que o Itaú já tem operações por lá.

Estabilidade política e crescimento econômico também foram as características mencionadas pelo executivo para justificar o interesse em Colômbia e Peru. "Isso não quer dizer que não podemos olhar para fora da América Latina", lembrou Setubal, que também mencionou o México como mercado de interesse. "Evidentemente é um país importante", completou.

Alegando não ter uma estratégia de internacionalização totalmente desenhada, Setubal disse apenas que o novo banco tem interesse em explorar os segmentos de private bank e de cartões de crédito, porém não deu maiores detalhes. "Não temos um plano definido, ainda não nos aprofundamos muito", disse o presidente do Itaú Unibanco.

Leia também

Opinião

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.