Tamanho do texto

BERLIM, 14 de abril (Reuters) - A Daimler, maior fabricante mundial de caminhões, eliminará quase que completamente os negócios com o Irã, em meio às crescentes pressões para que a república islâmica restrinja seu programa nuclear, disse nesta quarta-feira o presidente da companhia alemã.

"As políticas da atual liderança iraniana nos obrigaram a colocar nossa relação comercial com aquele país em uma nova condição", afirmou Dieter Zetsche, durante reunião anual com acionistas da empresa.

BERLIM, 14 de abril (Reuters) - A Daimler, maior fabricante mundial de caminhões, eliminará quase que completamente os negócios com o Irã, em meio às crescentes pressões para que a república islâmica restrinja seu programa nuclear, disse nesta quarta-feira o presidente da companhia alemã.

"As políticas da atual liderança iraniana nos obrigaram a colocar nossa relação comercial com aquele país em uma nova condição", afirmou Dieter Zetsche, durante reunião anual com acionistas da empresa.

"Em linhas gerais, nossas atividades comerciais com o Irã passarão a ser limitadas a atender nossas atuais obrigações contratuais e manter nossa colaboração com clientes já estabelecidos".

Entre as medidas concretas, o executivo disse que a Daimler irá se desfazer da participação de 30 por cento na Iranian Diesel Engine Manufacturing, subsidiária da Iranian Khodro Diesel.

(Reportagem de Christiaan Hetzner)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.