SÃO PAULO - Os contratos de juros futuros encerram a quinta-feira apontando para baixo na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F). A queda nos prêmios de risco, que era observada desde a abertura, ganhou algum estímulo na parte da tarde com a divulgação dos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, apontando mais demissões em janeiro.

Ao final do pregão, o contrato de Deposito Interfinanceiro (DI) com o vencimento para janeiro de 2010, o mais líquido, fechou com baixa de 0,06 ponto, a 10,93%. Janeiro 2011 recuou 0,19 ponto, para 11,30%, e janeiro 2012 apontava 11,58%, queda de 0,17 ponto.

Na ponta curta, o DI para março encerrou estável a 12,64%. O contrato para abril devolveu 0,01 ponto, a 12,15%, e julho de 2009 cedeu 0,06 ponto, projetando 11,42%.

Até as 16h15, antes do ajuste final de posições, foram negociados 631.200 contratos, equivalentes a R$ 56,69 bilhões (US$ 24,23 bilhões), mais que o dobro do observado ontem. O vencimento de janeiro de 2010 foi o mais negociado, com 300.170 contratos, equivalentes a R$ 27,46 bilhões (US$ 11,73 bilhões).

O cadastro do Ministério do Trabalho aponta que a economia perdeu 101.748 postos de trabalho formal em janeiro. Essa é a primeira vez na série histórica, iniciada em 1999, que o emprego apresenta retração no primeiro mês do ano.

Segundo o economista-chefe do Banco Fator, José Francisco de Lima Gonçalves, levando em conta não apenas o mês de janeiro, mas a evolução dos dados nos últimos meses, é inegável que o quadro é negativo para o emprego formal. E dada a inércia das decisões de contratação e demissão com carteira assinada, o mais provável é que essa piora continue durante o mês de fevereiro.

Trazendo o dado para o mercado de juros futuros, Gonçalves aponta que esse é mais um argumento reforçando a trajetória de queda para a taxa Selic. "Está cada vez mais claro que vem um corte de 0,75 ponto a 1 ponto percentual na reunião de março do Banco Central."
Ainda de acordo com o economista, os agentes aguardam, agora, os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) sobre o emprego em janeiro. O número sai amanhã e deve mostrar taxa de desemprego em 7,8% em janeiro, contra 6,8% no fechamento de 2008.

Na gestão da dívida, o resultado prévio dos leilões feitos pelo Tesouro, hoje, aponta que foram vendidas 500 mil Letras Financeiras do Tesouro (LFT), a R$ 1,89 bilhão; 3,05 milhões de Letras do Tesouro Nacional (LTN), a R$ 2,75 bilhões; e outras 200 mil Notas do Tesouro Nacional Série F (NTN-F), a R$ 181 milhões.

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.