Tamanho do texto

SÃO PAULO - Dados de emprego ruins nos Estados Unidos, mas em linha com o esperado, foram suficientes para melhorar o humor dos investidores nesta sexta-feira. Com cerca de meia hora de pregão, o Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), apontava alta de 1,29%, aos 37.

849 pontos, com giro financeiro em R$ 294 milhões.

Segundo o Departamento de Trabalho dos EUA, a economia perdeu 651 mil postos de trabalho em fevereiro, em linha com as estimativas. A surpresa negativa veio com a taxa de desemprego, que subiu de 7,6% para 8,1%, contra previsão de 7,9%. Tal percentual de desocupação é o maior desde 1983.

Em Wall Street, o dia também começa com variação positiva. Há pouco, o Dow Jones ganhava 0,98%, para 6.658 pontos. O S & P subia 0,71%, a 687 pontos, e o Nasdaq Composite valorizava 0,68%, a 1.308 pontos.

Os dados de emprego nos EUA tiveram efeito sobre os negócios na Europa, onde os índices voltaram a oscilar em alta. O FTSE-100, de Londres, ganhava 0,83%, enquanto o Xetra-DAX aumentava 0,95%.

Com as bolsas apontando para cima, o dólar acentuou as perdas contra os principais rivais e as commodities passaram a registrar valorização. Por aqui, a moeda americana mudou de direção, devolvendo os ganhos da abertura. Há pouco, o dólar comercial caía 0,25%, para R$ 2,376 na venda.

Dentro do Ibovespa, Vale PNA puxava os ganhos, avançando 1,80%, a R$ 27,67, e Petrobras PN subia 1,61%, para R$ 26,42.

Recuperado parte das perdas de ontem, Usiminas PNA aumentava 1,10%, a R$ 24,73. Os bancos também registravam alta, com Bradesco PN subindo 1,22%, a R$ 20,65. Itaú PN subia 0,59%, a R$ 22,13.

Na ponta vendedora, Copel PNB perdia 0,88%, a R$ 21,30. Brasil Telecom SA PN recuava 0,35%, a R$ 11,11.

A ação PN da Telemar apurava elevação de 0,85%, a R$ 28,24. Ontem, a operadora apontou queda de 50% no lucro de 2008, que ficou em R$ 1,2 bilhão.

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.