Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Dados corporativos ruins ditam realização de lucro na Bovespa

Por Aluísio Alves SÃO PAULO (Reuters) - Uma nova rodada de notícias corporativas decepcionantes ofuscou o otimismo dos investidores com os pacotes anticrise dos Estados Unidos, levando a Bolsa de Valores de São Paulo de volta ao vermelho.

Reuters |

No dia seguinte à disparada de mais de 8 por cento, que o levou ao maior nível em 5 semanas, o Ibovespa teve uma sessão volátil antes de fechar em queda de 0,83 por cento, a 37.968 pontos, arrastado por Wall Street.

O giro financeiro do pregão somou 4,31 bilhões de reais.

Ainda ansioso por detalhes do plano anunciado pelo presidente eleito dos Estados Unidos Barack Obama, para criar cerca de 2,5 milhões de empregos, e do pacote de ajuda do governo para as montadoras de veículos, o mercado foi apresentado a novas evidências dos estragos da crise mundial.

Quatro fabricantes de chips, entre elas a Texas Instruments reduziram as projeções de receitas, devido à queda na demanda. A Sony vai cortar 16 mil empregos e restringir investimentos para economizar 1,1 bilhão de dólares por ano. E a produção industrial da Grã-Bretanha caiu em outubro no ritmo mais significativo em quase seis anos.

Segundo profissionais do mercado, esse conjunto convidou os investidores a realizar lucros. "Houve um ajuste dos papéis, após a forte valorização de ontem", disse Junior Hydalgo, diretor da Intrader Investimentos.

Na bolsa paulista, esse movimento atingiu principalmente as ações de empresas ligadas ao mercado doméstico, no dia em que o IBGE divulgou que o PIB brasileiro do terceiro trimestre cresceu 6,8 por cento em relação ao mesmo período do ano passado, acima das expectativas. O número reduziu as apostas de que o Banco Central comece a reduzir logo a Selic.

Em destaque, Pão de Açúcar caiu 6,7 por cento, a 10,50 reais, e Natura perdeu 4,24 por cento, cotada a 20,77 reais.

Na outra ponta, papéis de empresas de commodities resistiram ao movimento negativo, dando sustentação ao índice. As siderúrgicas, apontadas como algumas das principais beneficiárias, caso o plano de Obama, que inclui obras públicas, seja efetivado, ficaram na ponta de cima do Ibovespa.

Usiminas subiu 2,26 por cento, a 26,20 reais. Gerdau ganhou 2,2 por cento, a 15,94 reais. Vale, mesmo tendo a recomendação para os papéis reduzida de "comprar" para "manter" pelo Deutsche Bank, fechou praticamente estável, subindo 0,04 por cento, a 23,72 reais.

Já Petrobras não resistiu à queda de mais de 3 por cento na cotação do barril do petróleo e recuou 0,5 por cento, a 20,11 reais.

(Reportagem adicional de Filipe Pacheco; Edição de Vanessa Stelzer)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG