Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Cypriano diz que vetou oferta de derivativos exóticos a clientes

SÃO PAULO - O Bradesco negou hoje que faça qualquer tipo de operações exóticas ou alavancadas com derivativos cambiais com seus clientes. Essas operações foram trazidas pela área de produtos, mas o risco não compensava a operação.

Valor Online |

Quando eu não entendo uma operação, eu não faço", afirmou o presidente da instituição, Márcio Cypriano.

Segundo o vice-presidente de Relações com Investidores do Bradesco, Milton Vargas, quando o comitê de risco fazia testes estresse em relação a esses produtos, o órgão via que "poderia haver um risco elevado para os clientes".

Falando sobre sua posição em contratos derivativos tradicionais de câmbio, o Bradesco informou que, no dia 23 de outubro deste ano, tinha R$ 973 milhões a receber de 186 clientes, sendo que a maior operação era de R$ 142 milhões. Na ponta contrária, o banco tinha R$ 655 milhões a pagar para 90 clientes, sendo o maior contrato no valor de R$ 109 milhões.

Na análise do banco, o risco de crédito da instituição não é grande nos montantes que tem a receber, já que são operações feitas com empresas exportadoras, em volumes adequados aos recebíveis das companhias nos seus contratos de venda externa.

Sabendo que corre também um risco indireto, no caso de uma grande empresa sofrer perdas com derivativos estruturados em outros bancos e ficar inadimplente com o Bradesco, Cypriano disse que sua área de corporate fez uma varredura com as grandes empresas e que não há preocupação em relação a este tema. "Estamos absolutamente tranqüilos", disse o presidente do banco.

(Fernando Torres | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG